Benfica: “Parece que na Liga os processos andam a carvão enquanto na Federação andam a gasolina de última geração”

2201

Analisando o momento que se vive no futebol, Domingos Almeida Lima voltou a apelar ao “respeito”, à “justiça” e à “verdade desportiva”(video mais abaixo).

“No início da semana emitimos um comunicado a chamar a atenção para a necessidade de que a justiça desportiva seja igual para todos porque, como todos reconhecem, só vemos a justiça célere e penalizadora com o Benfica. Lenta e complacente para outros. Benfica que se distingue pela postura mais construtiva, sóbria e correta. A falta de bom senso das nossas instituições que gerem o futebol não fica por aqui, como se justifica ver premiar quem se notabiliza em ameaçar, insultar, pressionar árbitros e jornalistas e ainda esta semana se gabar de atos ilegais como a compra de bilhetes de sócios de um clube rival, apareça agora publicamente como o líder da claque da seleção nacional? Quem deviam pugnar pela justiça e proteção dos árbitros premeia quem
diariamente de forma direta ou nas redes os insulta e ameaça? E ainda esta manha lemos no jornal a Bola que o processo que envolve aquele famoso incidente no túnel entre dois presidentes não deve ser fechado ainda esta época. Mas que vergonha é esta. Na continuidade, aliás, dos processos – que curiosamente envolvem o mesmo clube e que permanecem sem decisão desde a época passada – perdidos nos confins da comissão instrutória da Liga – com o risco de serem decididos nas férias? Isto é admissível? E torna-se insustentável disfarçar mais e Pedro Proença tem que assumir responsabilidades porque com estes adiamentos sucessivos se prova que os processos quando chegam à comissão instrutória da Liga que envolvem os nossos rivais ficam congelados. Aliás, com esta notícia de hoje o Benfica fica ainda mais preocupado porque parece que na Liga os processos andam a carvão enquanto na Federação andam a gasolina de última geração. A Liga, tão célere em decidir e penalizar com multas os clubes, quando se trata de ser célere e eficaz a decidir na justiça desportiva paralisa e nada funciona. É por tudo isto que se fala em dualidade de critérios!” afirmou.

Em Abrantes, o vice-presidente terminou a intervenção lembrando que o Sport Lisboa e Benfica é “uma Família unida e orgulhosa” e que o Clube está “cada dia mais forte e com os olhos postos no futuro.”

COMPARTILHAR