CMVM acorda e pede esclarecimentos sobre o perdão de 94,5 milhões ao Sporting

A CMVM quer saber mais detalhes sobre a forma como o Sporting reduziu a sua dívida de 135 para 40,5 milhões ao BCP e ao Novo Banco, através dos Valores Mobiliários Obrigatoriamente Convertíveis (VMOC) detidos por estes, nos últimos meses, avança o “Jornal de Negócios” esta quinta-feira.

O pedido de informação da CMVM surge poucos dias depois de Bruno de Carvalho ter escrito um artigo de opinião no “Diário de Notícias” em que dava conta do estado atual das finanças do clube e da estratégia seguida na reestruturação financeira.

Segundo informou a CMVM ao “Negócios”, a Sporting SAD foi contactada para dar alguns esclarecimentos sobre os VMOC. Deste procedimento “poderá resultar a divulgação de informação complementar ao mercado, se tal se justificar em resultado dos esclarecimentos que venham a ser prestados”.

Na prática, as VMOC são empréstimos obrigacionistas que dão ao seu titular a possibilidade de as converter em acções do emitente, neste caso a SAD do Sporting, caso não exista reembolso.

Estes instrumentos foram emitidos para o BCP e o Novo Banco no âmbito da reestruturação financeira que o clube de Alvalade acordou com as duas instituições financeiras em 2013, lembrou o matutino.

Subscrever Blog via email

Indique o seu endereço de email para subscrever este site e receber notificações de novos artigos por email.

Junte-se a 1.255 outros subscritores

Siga-me no Twitter