Entrevista completa de Luís Filipe Vieira

2969

Entrada uma Superliga Europeia

“Esse tema deve preocupar muito o futebol português, parece que estamos todos distraídos. Se me disserem que há dois clubes que poderão entrar nela… Se o Benfica olha para isso com clareza? Sim, está a trabalhar afincadamente”

Cortava o bigode se fosse campeão europeu?

“Não, o bigode vai comigo para o meu funeral, tem muito a ver comigo e com a minha família.”

Quando sai do Benfica?

“Tenho coisas para fazer neste mandato, não sei o que se vai passar no seguinte. Tenho a noção que no dia em que deixar o Benfica deixarei uma grande empresa, uma fábrica que será uma grande referência na Europa e acho que é possível sonharmos em ser novamente campeões europeus. Os que foram vendidos ajudam os outros a vender. Hélder Costa foi vendido por 15 milhões e pagámos 10 por cento de comissão à Gestifute. Estamos mais 10 anos à frente da concorrência, têm que copiar o que fazemos. Deixem-nos estar sentados que eles não precisam de trabalhar, só têm de copiar o que nós fazemos. Tenho a noção exacta do nosso caminho. Eles fazem depois umas contas muito bonitas. Mas nós assumimos que temos um passivo”

Rendimento de Rafa

“Estou satisfeito, tal como todos. Rafa tem ou não qualidade? Mas vai deixar de falhar e vai marcar a mais. Aí veremos quanto vale”

Departamento médico

“Nenhum sai. Não há nenhum problema no departamento médico. O Benfica foi buscar uma pessoa para acrescentar ao que temos. O João Paulo Almeida estava no Benfica, houve um acordo e saiu. E agora fomos buscar este. É verdade que andámos algum tempo em negociações para aquilo que pretendíamos.”

Lesões a mais?

“Ainda ontem se lesionou um. O que vamos fazer?

Irritado com o caso de Grimaldo? Nada. Uma coisa era fazer um tratamento prolongado para estabilizar, mas chegou-se à conclusão de que tinha de ser operado. Por 30 milhões? Grimaldo não vai.

Quem é que está em primeiro lugar? Preocupado com as lesões? O ano passado se calhar tivemos menos, mas é normal no futebol. Ainda ontem um jovem que estava a render bem lá vai estar parado três semanas.

Se o Benfica está a investir o que está a investir, é lógico que o departamento médico vai ter uma revolução, que até pode passar por equipamentos. Temos de ir ao mercado por quem sabe e vem acrescentar valor. Mas longe de mim tirar alguém do Benfica. O Benfica tem grandes profissionais. Se tivéssemos algum descontentamento até eram os jogadores que diziam ‘quero ir aqui, quero ir ali’.”

Lesões forçaram a venda de Guedes?

“Não. Uma proposta para um jovem que começou este ano a titular com a lesão do Jonas… Temos de saber o que são 30 milhões de euros. Se não o tivéssemos vendido, se calhar não jogava, ou então estava a jogar, não sabemos.”

Pena por Bernardo Silva ter saído?

“Pena tenho, mas o que ia fazer naquela altura? Perguntem ao Bernardo Silva qual era a posição em que ia jogar. Defesa esquerdo? Não sei. Vendemos o Bernardo Silva por 15 milhões e qualquer coisa, vendemos o Ivan Cavaleiro por 15, João Cancelo por 15…”

Hélder Costa

“Há quem diga que nem o vendemos. Mas até digo que o pagamento é em dois anos.
Saiu este, qualquer dia vai sair outro.”

Sempre 15 milhões

“Há uma estratégia para isso. Daqui a dois anos saberão. Tem de ser segredo, as pessoas copiam-nos tudo, temos de ter cuidado.”

Guarda-redes

“Temos o André, temos o Varela.”

Ederson

“Não está à venda e temos 50 por cento do seu passe, o Rio Ave tem os outros 50. Comprar os outros 50? Não temos necessidade. Se ele quiser continuar, tem mais anos de contrato, estamos estáveis. Não há nenhum guarda-redes de Leste, é possível que venham guarda-redes portugueses.”

Comissões pagas

“Se o Benfica paga demasiado em comissões? Temos uma regra muito clara. Vamos falar de Jorge Mendes, que é sempre a polémica. Cada vez trabalhamos mais e há uma regra clara: eu digo que é X por esse jogador. Não pagamos 10 por cento, são 5 por cento. Ele é que o vende. As pessoas não pensam que chegam aqui e compram os jogadores do Benfica.

Dinheiro para abater o passivo

“De onde vem? Vem da venda de jogadores, bilhética, sponsor, receitas de merchandising… Não é preciso ter contas feitas, se o Benfica hoje não tivesse dívida não tinha necessidade de vender jogadores. Grande objetivo é criar um Benfica sustentável. Antes nem tínhamos campo para treinar, a memória é curta… Antes disso é entregar o Benfica aos benfiquistas e não sufocar, um Benfica viável. O meu filho suceder-me? Posso garantir que não. Negócios com o meu filho? O filho de Pinto da Costa já o conheço há muitos anos e sempre foi empresário. O meu filho nunca será empresário. Que eu saiba essa sociedade é acionista. Não estou a ver essa empresa entrar no futebol. Há é dito e mexerico.”

Não é remunerado

“O jogo connosco é claro. Pagamos aos empresários o que é acordado, toda a gente sabe a relação que temos com Jorge Mendes, nem é de empresário, é parceiro. Os contratos estão feitos, que eu saiba não tenho dinheiro no estrangeiro.

A única coisa que tenho do Benfica é um carro, paga-me a gasolina, refeições e tenho um cartão de crédito para despesas do Benfica. Os estatutos podem mudar, mas não vai ser comigo. No dia que mudar, acho muito bem, até porque o pensamento de o Benfica ter uma gestão profissional séria passa se calhar por órgãos sociais e presidente remunerados, principalmente a SAD.

Rico não sou. Não preciso de ser rico para viver. Mereço aquilo que tenho. Querem confundir a minha vida com o Benfica. No Benfica tudo é escrutinado a sério, não há nada a apontar.

Domingos Soares de Oliveira? Tem de ser aumentado porque merece. Vamos acordar isso com ele.”

Revolução no Seixal

“Vamos investir no Seixal milhões de euros novamente porque é o futuro do Benfica. O nosso projeto passa por ali. Praticamente vamos fazer um centro de estágio novo. Queremos mais 7 campos relvados, dimensionar a rede hoteleira, ter mais 30 quartos, duplicar o refeitório e a cozinha. Temos de construir um edifício à volta de 2.500 metros quadrados. Tudo vai revolucionar o Seixal. Estamos a adjudicar a primeira fase. Vai estar pronta no mandato de certeza absoluta.

Estamos em negociações para comprar os terrenos. Um projeto a longo prazo? Nesta casa não há longo prazo. Veja-se o que está feito em 16 anos.”

As contas do Benfica

“O Benfica no dia em que pagar a dívida toda a gente vai perguntar onde foi buscar o dinheiro. Dívida? E os ativos que tem?

Só este semestre baixámos 16 milhões de euros.

Há hoje um objetivo que temos. O Benfica nesta época e na próxima quer recuperar os capitais próprios todos. O que quer dizer que vamos liquidar boa parte da dívida do sistema financeiro.

Este ano prevemos faturar 220 milhões. Para o nível de faturação que temos, vivemos bem com o passivo que temos. Mas queremos reduzir drasticamente a dívida e vamos conseguir, sem antecipar receitas.

Temos ativos suficientes cobiçados, temos uma formação cobiçada sem vestir a camisola da equipa principal, por isso é que vamos investir muito mais no Seixal.

Há uma política, que é pagar a dívida primeiro. Se não pagarmos a dívida, não podemos fazer nada. A dívida financeira vamos liquidá-la neste exercício, no próximo exercício. Vivemos por meios próprios, com aquilo que geramos. Trabalhamos muito, muito, como falamos pouco.

O Benfica está nos 30 principais clubes em receitas, em 27.º. É sinal de que fazemos algo muito positivo nesse aspeto. A dívidia é elevada mas tudo o que fizemos foi com dívida do sistema financeiro, mas criámos condições para resolver o problema do Benfica e criar-lhe um futuro, e ter condições para pagar a dívida.”

Renovação de Vitória

“Há um projeto que temos, ele está muito identificado com o projeto e logicamente que é para continuar. Ninguém hesitou. É como o Luisão: ainda não assinou mas sabe que renovou. O Rui ainda não assinou, mas sabe que vai renovar.”

Estabilidade de treinadores

“Quem estiver atento sabe que gosto que as pessoas trabalhem comigo muito tempo. O Benfica está muito avançado em relação à concorrência. Não tem um projeto para amanhã, tem um projeto para uma década. O Rui Vitória vai continuar por muitos anos.”

Semelhanças e diferenças entre Jesus e Vitória

“Jorge Jesus é um grande treinador e Rui Vitória é um grande treinador. Há feitios.”

O Benfica fez queixas contra Jesus, contra o Sporting…

“E vai continuar a fazer.

Vamos acabar com a história de Jorge Jesus. O Jorge foi um homem que fui buscar, foi treinador durante 6 anos. Costumo dizer que foi meu companheiro, foi um homem que ganhou e perdeu. Ninguém o vai apagar da história do Benfica. Decidiu sair, foi à vinda dele. O Benfica encontrou outro treinador e esta muito feliz com ele.

O Benfica é gerido de forma clara e profissional. Tem uma estrutura profissional que é gerida por Domingos Soares de Oliveira. Na altura da saída de Jesus foi alertado que a saída não foi correta. Houve no departamento jurídico uma informação que devia processar-se o Jorge Jesus. Eu, como presidente, não tenho de influenciar uma decisão daquelas. Se entendem que é por aí, então vão por aí.

Eu quero arrumar isso. Se o vir amanhã cumprimento-o, não tenho problema nenhum. Nunca me chateei, não tenho nenhum problema. Nunca me fez mal. Pensava que era benfiquista, viemos a saber que foi para a casa dele.

Com o que é que o Benfica pode estar melindrado com o Jorge Jesus? Pelo contrário, contribuiu para ele ganhar muito mais.

Ninguém pode apontar o dedo a Jorge Jesus, ele sabe que tem uma mensagem minha de despedida. É um grande treinador, fez um grande trabalho no Benfica, mas hoje estamos muito felizes com o treinador que temos.”

Tecnologia no futebol

“Desde que não haja muitas paragens em campo. [A tecnologia da linha de golo] é um dos casos, quando sucede deve haver um meio. Agora no ritmo normal é complicado estar sempre a parar o jogo. E vai sempre haver critérios. Hoje temos comentadores que têm as câmaras todas e muitas vezes não chegam a acordo.”

Rivalidade com o Sporting distraiu o Benfica do FC Porto?

“O FC Porto tem uma grande equipa e um grande treinador. Disse logo quando ele foi para lá. O FC Porto perdeu alguns pontos infantilmente e o Benfica se calhar também perdeu um ou outro ponto onde eles não esperavam.
O Benfica quando tem algum erro pensa para dentro, vamos sempre apertando o parafuso. Reconhecemos os erros que temos. O Benfica não fala de outros clubes. Os outros é que falam de nós.”

O Conselho de Arbitragem mudou para melhor ou pior?

“Não tenho de analisar isso. Quero é uma boa equipa dentro de campo e ganhar jogos. Isso temos capacidade para fazer. Não me ponham capacidade para apitar ou desapitar.”

Favorecido no dérbi com o Sporting?

“Não fui.”

Favorecido nalgum jogo?

“Reconheço. Mas dentro do campo não vi. Contra o Chaves é notório. Chegamos ao fim do campeonato e o Benfica é favorecido e prejudicado, o FC Porto e o Sporting a mesma coisa.

O problema é que o Benfica é tricampeão, as pessoas não estavam habituadas. E o tetra esta a fazer aflição a muita gente. Mas nós continuamos o mesmo caminho. Agora, depois o que se passa ao lado é complicado.”

Tratamento desigual dado ao Benfica

“Há ou não reais indícios de coação? Na realidade existe. E não falamos apenas de arbitragem. Vejam quem foi castigado, fiz um desabafo no meu camarote e fui castigado. Não disse nada publicamente nem ofendi a honra do senhor do sr. João Ferreira. (…) Vejam o caso do túnel, vejam as declarações de tanta pessoa. Vi agora as declarações de uma pessoa e deve ter amnésia. Octávio Machado? Sim. Não acrescenta nada ao futebol.

Apito Dourado não vai voltar mesmo, ninguém permite uma coisa dessas. A própria formação dos árbitros é diferente. Agora se essa impunidade continuar, a justiça não for célere, então o CA deve denunciar os casos. Há uma impunidade muito grande em relação a determinados dirigentes. (…) mas não estou a dizer que sou um santo.

Só os burros falam de arbitragem? Aprendi, não sou burro, sou inteligente (risos). É mentira, não falei nada. Falei de nomeações e falei de um jogo há dois anos sobre um célebre jogo que ganhámos 3-0, com faltas por marcar. Por causa de um senhor que curiosamente originou as minhas críticas.”

Reunião no Conselho de Arbitragem

“Fizemos uma coisa que os outros não fazem, não temos medo de dizer que vamos ao Conselho de Arbitragem. Mas viemos a saber à posteriori que muita gente já lá foi às escondidas.

Aquilo que pensamos que está a suceder tem muito a ver com condicionamento e intimidação na arbitragem que vai havendo.”

Esta reunião é uma forma de pressão?

“Não. Nós não estamos preocupados com o Apito Dourado porque de certeza que não volta a existir neste país.
Ninguém no Benfica é agente da Judiciária. Há um Conselho de Arbitragem e queremos saber quais são as medidas tomadas. É público o que se passou no centro de treinos da Maia e o CA tinha de dizer-nos o que estão a fazer. Fomos muito claros no que transmitimos. O CA, se quiser, torna público, mas acho que não há necessidade.

Saímos de lá um pouco descansados. Estão a tomar as medidas necessárias.

Os assuntos de arbitragem são bastante polémicos mas não queremos fazer suspeições atras de suspeições”

Golo de Mitroglou ao Estoril

“Assumimos que é fora de jogo mas era muito mais fácil ver o penálti de Setúbal.
Soube há cerca de um mês [que o FC Porto esteve no CA]. Quando sentimos algo e temos indícios, logicamente temos de ir à entidade competente.

O que tem existido na arbitragem tem a ver com o ambiente à volta desta indústria, e começa a ser preocupante. Hoje há um jogo do Benfica ou do FC Porto e passado uma hora qualquer lance é escrutinado. A partir daí há suspeição generalizada. Mas há indícios de que houve coação, basta ver as redes sociais e estão la as caras das pessoas.

O que pretendemos é a verdade desportiva. Queremos ganhar dentro de campo. Vai sempre haver erros. O que é importante é retirar deste espetáculo a insinuação”

COMPARTILHAR