Expresso pergunta aos 3 grandes sobre os briefings aos comentadores e só o Benfica responde

3533

A hipocrisia da aliança do Sporting Clube do Porto é notável quando são chamados à verdade. O Sporting andou durante muito tempo a reunir-se com os comentadores no restaurante Edmundo e quando foi tema de conversa passaram para o camarote presidencial de Alvalade. Quando se vê Fernando Mendes a receber mensagens em direto na altura do Chaves-Sporting ou os whatshapps que recebe o Pina e o Diogo Orvalho (basta ver os programas, mas ainda coloco aqui) para eles é tudo “casualidades”. É como ter visto o Zé Eduardo em sintonia com Inácio por várias vezes. Já o Porto são poucos os que recebem informações porque já foram criticados pelo próprio presidente e porque têm um diretor de comunicação que veste a pele de comentador. Tipo Bruno de Carvalho na temporada passada.

Mas o jornal Expresso decidiu fazer umas perguntas aos 3 grandes sobre este assunto.
1. Preparam e enviam guiões?
2. Que tipo de contacto mantém o clube com os comentadores? 3. Os comentadores recebem alguma remuneração?
4. O clube tem alguma influência na escolha dos comentadores?

Só o Sport Lisboa e Benfica respondeu. A vergonha de falarem da fraca organização da sua comunicação é tanta que não responderam. Não tiveram coragem. Preferiram alimentar inventado mais um documento do que admitir que usam todo o tipo de artimanhas, legais e ilegais para criar cortinas de fumo. E aqui a cortina de fumo é o medo de não ganhar nada pela 4ª vez consecutiva para o Benfica. E continuar a não falar nas contas que estão um desastre.

O Benfica Respondeu sem esconder nada!

“1 – O SLB, sendo reconhecidamente a principal marca do país, obviamente que tem uma estrutura profissional na sua comunicação que produz informação diária para os seus diferentes canais e também para os comentadores afectos ao clube.

2 – Para além da informação corrente, sempre que um comentador considerar pertinente e nos contacte estamos sempre abertos a fornecer os dados e enquadramento que nos seja solicitado. Não existindo qualquer outro tipo de contacto.

3 – Todos os comentadores que não têm qualquer tipo de vínculo profissional a estruturas do SLB não recebem nenhuma remuneração por parte do clube.

4 – Que saibamos os critérios de escolha e seleção dos comentadores por parte das televisões e rádios são da estrita e exclusiva competência desses órgãos de comunicação social.”


COMPARTILHAR