Jornal inglês faz trabalho sobre o Caixa Futebol Campus de envergonhar a imprensa portuguesa

0

O jornal britânico ‘Guardian’ passou um dia no Caixa Futebol Campus, que apelidou de “linha de produção para o futebol europeu”, num trabalho em que destaca as condições, métodos e ainda as vendas do Benfica na sequência do trabalho feito com a formação desde a inauguração do Centro de Estágio no Seixal.

O repórter inglês Alex Clapham passou um dia a conhecer as instalações e privou diretamante com Luís Nascimento, treinador da equipa de sub-15, onde todo o processo tem início. “Veja o Ederson. Quando aqui chegou era apenas um rapaz das favelas, com medo de sair da pequena área. Agora corre mais riscos do que qualquer um na Premier League. Bernardo Silva é de topo, também. Vendêmo-lo ao Mónaco e semanas depois já falava francês na TV, é um exemplo. Este clube dá aos jovens capacidades para se desenvolverem”, contou o técnico àquele jornal, a quem salientou o cariz educativa do Seixal: “Não falamos apenas de treino, mas também de educação. O desempenho escolar dos nossos jogadores é monitorizado e encorajado a todos os níveis.”

Na reportagem, o jornalista destacou não só a grandeza humana e material – os relvados, os dormitórios e a ‘cre`me de la cre`me, o simulador de treino 360S – mas também a competitividade existente. “Desde a equipa de sub-13 até às demais acima, cada equipa é composta por jogadores que podiam perfazer três formações. Esta estratégia ajuda o clube a atrair os melhores jovens dos quatro cantos do país, mas também a desenvolver um espírito competitivo. Cada um tem um ‘rival’ a competir consigo. São crianças, mas este é ambiente que desenvolve competidores implacáveis”, pode ler-se no trabalho do ‘Guardian’.

Confiança traduzida em contratos

O jornalista britânico contou um episódio que lhe chamou a atenção, pela educação demonstrada pelos jovens do Benfica, quando todos o cumprimentaram com um ‘boa tarde’. “Fui invadido pela sensação de que este é um sítio especial e de que era um sortudo por estar ali. Por isso imaginem como estes jovens se sentiriam. Há muito respeito no clube.”

Na reportagem é destacado ainda o facto de, “na última época, 54 dos jovens sub-21 do Benfica terem sido convidados para assinar contrato profissional, com o dinheiro ganho através das vendas a ser injetado na Academia”. Nas contas do ‘Guardian’, o “Benfica fez mais de 258 milhões de euros em vendas de jogadores da formação nos últimos três anos”.

COMPARTILHAR