Um presidente acusado de corrupção fala em denunciar factores extra. Este factor vem do hóquei

3351

É preciso já não estar bem para dizer que vai continuar a denunciar factores extra. Pinto da Costa que é conhecido por ser um presidente condenado por corrupção e que tem hoje o FC Porto à beira do abismo devido a questões financeiras, faz um ataque ao Benfica sobre a “polémica” das bruxarias e dos supostos e-mails.

Certo é que até à data nem um reforço chegou. Dinheiro não há e Casillas vai querer receber os 10 milhões que estão no contrato. Mas já que falou em factores extra, no hóquei em patins aconteceu algo muito “estranho”. Mais uma vez, o homem com a capinha do telemóvel com o símbolo do FC Porto, Fernando Graça, está metido ao barulho.

No hóquei em SUB-20, a FIRS no qual Fernando Graça é responsável, procedeu à alteração do cruzamento nos quartos-de-final sem qualquer comunicado oficial. O organismo que tutela o Hóquei em Patins mundial procedeu à substituição do ficheiro com o calendário de jogos, passando a prever que – à semelhança do que aconteceu no Campeonato da Europa de 2016 – o 1º do grupo A defronte nas meias-finais (a confirmar-se o teórico favoritismo) o 2º do grupo B e vice-versa. Ou seja, o vencedor do jogo 13 defronta o vencedor do jogo 15 (e não do 14) e primeiro e segundo de cada grupo passam a poder encontrar-se novamente apenas na final.

A trafulhice estaria no cruzamento dos quartos-de-final inicial que beneficiaria determinadas equipas em detrimento de outras. Depois de alguma desconfiança, o organismo optou pelo método da temporada passada.

Fernando Graça que está ligado ao campeonato retirado ao Benfica, anda a espalhar trafulhices na FIRS.

COMPARTILHAR