Se João Félix foi vendido por 120 milhões de euros (os outros seis são de juros), Bruno Fernandes vale 200 milhões. É um jogador taticamente mais evoluído, mais combativo e melhor na marcação de livres.

É certo que Félix é cinco anos mais novo, e isso pesa. Mas simultaneamente é um ponto de interrogação, pois não está ainda completamente formado. Como irá evoluir um jogador tão jovem perante uma pressão tão grande? O que se passará dentro da sua cabeça após a mudança para uma nova cidade, para um novo contexto, e sabendo que tem sobre ele milhões de pares de olhos a exigir-lhe um rendimento à altura da fortuna que custou?

Entretanto, enquanto pagaram os tais 120 milhões por Félix, ninguém parece querer dar mais de 35 por Fernandes. É o mercado a funcionar, dizem os comentadores. Mas será mesmo? Ou será porque Félix foi negociado por Jorge Mendes e Fernandes está a ser negociado por um ilustre desconhecido?

Quando é Mendes a negociar, um jogador vale 120 milhões; mas se o negociador for outro, já só vale 35.
Ora, isto não é o mercado a funcionar – é exatamente o contrário: são os empresários e as suas relações a funcionar.

Mas empresários à parte, enquanto o futebol não regressa, os jornais matam a cabeça a fazer ficções. Como uma vez escrevi, se a credibilidade fosse importante para a imprensa, os desportivos já tinham acabado. E mesmo os outros não primam pelo rigor.

Ao acaso, retiro os seguintes títulos da 1.a página do Correio da Manhã: Man. United chega aos 80 milhões por Bruno Fernandes – City também está na corrida; City recusa loucura por Bruno; Bruno admite rumar a Itália; United sobe proposta por Bruno; Varandas assume negócio de Bruno Fernandes; Mendes fora do negócio de Bruno Fernandes; Tottenham e United na luta por Bruno; PSG e Atl. Madrid entram na luta por Bruno; Liverpool dá Camacho no ataque a Bruno Fernandes; Varandas manda acelerar venda de Bruno Fernandes; Pogba abre espaço a Bruno Fernandes no Man. United; Varandas exige 70 milhões por Bruno Fernandes; Bruno Fernandes não sairá por 35 milhões; Bruno Fernandes está de saída; Bruno deixa mensagem de despedida; Keizer conta com saída de Bruno Fernandes; Bruno Fernandes integra plantel; Bruno em Alcochete com cabeça em Inglaterra.

Só de ler, cansa! Depois disto, como acreditar nas notícias que saem sobre as transferências de futebolistas? E indo mais longe, como acreditar nos jornais? Fala-se hoje muito de fake news, mas fake news, notícias falsas, existiram sempre. Com objetivos determinados ou simplesmente por incompetência dos jornalistas. Ou por falta de assunto. Numa época em que a bola não rola nos relvados, como entreter os adeptos do futebol?

Mas convém não exagerar. Depois de 18 títulos como os acima transcritos, quem acreditará no 19.o?
CONTINUAR A LER