“A Federação e a arbitragem… nunca vi isto num jogo de andebol”

Advertisement

Após a final da Taça de Portugal de andebol em que o Benfica perdeu com o FC Porto por 27-31, Fernando Tavares, vice-presidente encarnado, deixou duras críticas à atuação da dupla de arbitragem Duarte Santos e Ricardo Fonseca pelas 12 exclusões de dois minutos aos jogadores das águias e pela expulsão do treinador Chema Rodríguez.

“Em relação ao jogo de hoje [domingo], acho que o Benfica tentou equilibrar o jogo frente a um FC Porto fortíssimo. Sem pôr em causa a vitória e a qualidade do FC Porto, acho que tivemos uma arbitragem absolutamente miserável, que condicionou o jogo. Tivemos 12 exclusões, foram 24 minutos em 60 com menos um jogador, foram 40% do tempo. A Federação e a arbitragem… nunca vi isto num jogo de andebol, com três e quatro jogadores de campo fora ao mesmo tempo. Isto não põe em causa o facto de termos de rever os nossos processos, temos alguma culpa própria em lances que podiam ter dado outro equilíbrio à partida”, referiu, em declarações à BTV.

“O Chema Rodríguez está a fazer um trabalho no andebol que é notável. Por vezes, é perseguido pelas arbitragens. Não sei bem porquê, mas talvez por ser cidadão espanhol. Às vezes, temos uma cultura desportiva em Portugal que é preconceituosa, pois ele não fez nada para ser expulso. Não podemos criticar a equipa, que lutou até ao limite. Mesmo a jogar em desvantagem, o Benfica conseguiu manter o marcador numa perspetiva de recuperação para conquistar a Taça de Portugal, que era um desejo enorme desta equipa para oferecer aos adeptos“, reconheceu ainda Fernando Tavares.

 

Fernando Tavares

Com o pelouro das modalidades, o vice-presidente deixou, igualmente, alertas para a época que se avizinha – 2021/22 – em que o Clube terá de fazer uma profunda reflexão em termos competitivos.

“Do ponto de visto daquilo que é a dimensão interna das modalidades, temos de refletir no que foi esta época desportiva. O futsal ainda está em aberto, mas todas as outras modalidades [andebol, basquetebol, hóquei em patins e voleibol] terminaram. Com exceção do voleibol e das equipas femininas, penso que ficámos aquém daquilo que podíamos fazer. Na próxima época desportiva temos de ser mais competentes“, sublinhou.

“A mensagem é de necessidade de refletirmos no que foi o trajeto das modalidades de pavilhão nesta época desportiva. Uma reflexão muito urgente na forma como formamos os plantéis, como montamos as nossas equipas. O Benfica e os adeptos exigem que façamos essa reflexão de forma detalhada”, completou Fernando Tavares.