Tal como tínhamos denunciado em primeira mão, devido às várias mensagens de aviso por parte dos nossos seguidores(VER AQUI), a PSP deu inicio a uma investigação ao homem que se fez passar por polícia e usou as redes sociais para ameaçar que iria cometer um atentado no Marquês de Pombal durante os festejos do título a troco de dinheiro.

“Alguém que me pague cinco milhões para eu dar à minha família que eu coloco um colete com bombas e vou lá para o meio”, escreveu Márcio Ribeiro, que se identifica como agente da PSP desde 2015 e que estudou num instituto superior na Maia.

A Direção Nacional da PSP garantiu ao Correio da Manhã que o homem não integra os quadros da instituição e está a investigar o caso.

“Depois das diligências necessárias para averiguar se o autor do comentário seria de um elemento desta Instituição, foi confirmado que o indivíduo em causa não é elemento, nem nunca foi, da Polícia de Segurança Pública. Esta Polícia irá averiguar a situação, em que circunstâncias foi publicado este comentário e qual ou quais os seus autores. Caso esteja perante matéria criminal, procederá em conformidade”, explicou a Direção Nacional ao início da noite desta quinta-feira.