O coordenador técnico de futsal do Benfica, Alípio Matos, queixou-se que das alterações efectuadas à ultima da hora contra o que tinha sido decidido com 11 das 12 equipas que vão actuar no campeonato da I divisão de Futsal. Com estas alterações à ultima hora, apenas Sporting sai beneficiado, pois as restantes equipas preparam os planteis de acordo com o que tinha sido estipulado.

“Têm acontecido algumas coisas, ao nível dos gabinetes do Conselho de Disciplina e Jurídico, que nos têm desagradado bastante e que temos alguma dificuldade em conseguir entender. No início da época, 11 entre 12 clubes da Liga foram unânimes em aceitar que as equipas teriam que ter obrigatoriamente sete elementos formados localmente na ficha de jogo, onde só poderiam jogar 5 que não o eram. O Benfica podia ter mais estrangeiros dos que tem agora, mas preparámos a época consoante esse limite. O que aconteceu, à posteriori, foi que as regras mudaram. Não sabemos porquê… O que fica é nada daquilo que os clubes quiseram”, começou por dizer Alípio Matos, à margem do 3.º treino da época na Luz, apontando que os juristas “redigiram mal” o que ficou definido.

“Todas as provas oficiais tinham esta regra. Agora, pelos vistos, só há limite no campeonato e nas restantes provas nacionais não se aplica. Isto é uma situação gravíssima. Como é que é possível os juristas passarem erradamente para o papel o que estava estipulado pela direcção da Federação e pelos clubes? É inaceitável. Se calhar temos que ir buscar mais 2 ou 3 estrangeiros para estarmos ao nível dos desafios que temos para a época…”, frisou.