A ex-eurodeputada Ana Gomes disse esta terça-feira que Rui Pinto, colaborador do Football Leaks, fez denúncias anónimas entre 2017 e 2018 na plataforma eletrónica do Departamento Central de Investigação e Ação Penal (DCIAP) que não foram investigadas pela justiça.

“Rui Pinto disse-nos que entre os anos 2017 e 2018 tinha feito submissões através da plataforma de denúncias anónimas do DCIAP e verificou que nenhuma delas foi investigada. Muitas diziam respeito a eventuais casos de corrupção de elementos ligados a forças da autoridade”, contou, criticando a inação da justiça nacional perante as diligências de outros nove países que abriram investigações na sequência das denúncias do português.

Realmente se A ex-eurodeputada estaria a falar destas denuncias anónimas, temos de concordar com o que diz. Poderia era ser uma pouco mais direta e dizer quais foram as denuncias que o Hacker andou a fazer, porque nós não esquecemos as denuncias que saiam jogo após jogo.

Ana Gomes sublinhou ainda que Rui Pinto negou ter recebido qualquer pedido das autoridades judiciais portuguesas e vincou que estas “não querem colaborar ou só querem que ele coopere no sentido de fornecer dados para se incriminar a si próprio” no processo em que está indiciado por seis crimes relacionados com acessos ilegais aos sistemas informáticos do Sporting e do fundo de investimento Doyen.

CONTINUAR A LER