As 2 questões que arrasam a questão das claques e do secretário de estado

O secretário de Estado da Juventude e Desporto, João Paulo Rebelo, considerou esta segunda-feira que as alterações à lei da violência no desporto vão permitir responder com mais celeridade e eficácia, deixando o país mais bem preparado.

Questionado em Viseu sobre as críticas feitas pelo Benfica às alterações à Lei 39/2009, João Paulo Rebelo disse que “há alguns que contestam algumas das questões que a lei, depois de promulgada pelo senhor Presidente da República, vai impor no futuro próximo”, estando no direito de o fazer.

João Paulo Rebelo frisou que, no entanto, “esta proposta de alteração à lei foi pensada para não só responder com celeridade”, mas também “responder com mais eficácia, nomeadamente à aplicação obrigatória das sanções”.

Publicidade

Então vamos às perguntas. Esta lei permite mostrar o verdadeiro responsável pela claque Super Dragões? É que pelos registos, o verdadeiro líder não é Fernando Madureira. O que tem o secretário de estado a dizer quanto a isto?

A outra pergunta é: Quantos elementos registados têm as claques de FC Porto e Sporting? Essa nova lei vai continuar a permitir que exista 200 registados num universo de 10 mil?

O membro do Governo admitiu que “há normalmente muita desinformação, muita confusão, e que não beneficia ninguém que não sejam alguns infratores”, que devem ser punidos, “porque estão a trabalhar e a desenvolver as suas atividades à margem da lei”.

A desinformação é que as ditas claques legais não têm todos os seus elementos registados. As ditas claques legais não foram penalizadas pela invasão a alcochete e ao centro de treinos da maia. As ditas claques legais ainda não foram responsabilizadas pelo ataque aos 2 adeptos do Benfica nos últimos 6 meses. De desinformação não tem nada. O que se vê é protecção aos mesmos do costume.

CONTINUAR A LER