Benfica deixa aviso “O triunfo ante o Boavista foi inteiramente justo”

Advertisement

“Em cada jogo nota-se que estamos mais fortes”, notou Jorge Jesus, referindo-se ao início de temporada da nossa equipa após conseguir a sexta vitória consecutiva para o Campeonato, um pleno de triunfos desde que a prova teve início.

O excelente momento do Benfica, patenteado na qualidade exibicional, quer defensiva, quer ofensivamente, e alicerçado nos resultados, não passa, no entanto, de um mero sinal positivo para a presente temporada.

Vivemos uma fase prematura da época e tudo está ainda por disputar. 18 pontos somados nas seis primeiras jornadas trata-se de um registo assinalável, mas que vale unicamente por si só. Esta é apenas a sétima vez que o Benfica venceu nas seis jornadas iniciais (pela primeira vez com um treinador português ao leme da equipa), o que não acontecia desde 1982/83, mas ainda não se chegou sequer a um quinto da competição, pelo que muito haverá a fazer para atingirmos o objetivo a que nos propomos.

Começa a vingar uma corrente de opinião, nomeadamente entre aqueles disfarçada ou indisfarçadamente afetos a outros emblemas que não o benfiquista, de que esta época será um passeio para a nossa equipa.

Desenganem-se, porém, se acham que nos iludiremos ou que nos deixaremos levar pelo canto da sereia. A filosofia “jogo a jogo” está bem enraizada na equipa. Como disse Jorge Jesus sobre as seis vitórias conseguidas, “é um bom sinal, vamos trabalhar para a sétima”.

O triunfo, ontem, por 3-1, ante o Boavista foi inteiramente justo. Não obstante a boa réplica adversária, a qual merece ser realçada, o Benfica foi sempre mais forte. Para Jorge Jesus, “os primeiros 45 minutos foram melhores que os últimos”, fruto da “grande qualidade de jogo” na primeira metade.

Darwin, que já bisara na anterior jornada, voltou a marcar dois golos, e Weigl foi o autor do outro golo benfiquista numa partida em que o alemão cumpriu o 50.º jogo de águia ao peito no Campeonato (nota também para os 50 jogos oficiais na equipa de honra de Diogo Gonçalves e Vertonghen).

O jovem uruguaio, considerado o homem do jogo pela generalidade dos analistas, mostrou contentamento pelo seu desempenho na partida, mas preferiu realçar o trabalho coletivo: “Fizemos um grande jogo para levar os três pontos”. E relembrou que “o Campeonato é muito longo, ainda agora começou. Vamos continuar a trabalhar jogo a jogo para ver se no final da época conseguimos o objetivo”.

O enfoque da equipa está agora colocado na próxima partida, que terá lugar em Guimarães ante um sempre aguerrido Vitória. Esperam-se dificuldades, é hora de trabalhar para tentar superá-las.

Vamos, Benfica!