Cartão do Adepto, Casas do Benfica e o Futebol

Advertisement

Benitez: «Cada sócio que traga um sócio ter um desconto. Queria falar do Cartão do Adepto. A Lista A demonstra passividade. Quem está a ser prejudicado é o Benfica, a maior massa adepta de Portugal. Devíamos ser muito mais ativos. Falar com Liga, FPF e falar com o Governo. Se eles não quiserem avançar, avança o Benfica e põe o estado em tribunal. Oiço que se têm feito algumas coisas, mas não vejo nada palpável. O Benfica tem de liderar.»

Rui Costa: «Esqueceu-se da APCDV, temos feito reuniões com eles. Temos estado muito ativos [por causa do Cartão do Adepto]. Temos feito sucessivos encontros com sócios e esperamos uma redução de 50 por cento das áreas do ‘maldito’ cartão. Vamos esperar pelo jogo do Bayern e depois abrir RED PASS. Esse cartão do Adepto é uma aberração.»

Papel das Casas do Benfica

Rui Costa: «São as embaixadas do Benfica. O que me faz estar aqui é a junção do clube e as casas têm papel fundamental, porque o Benfica não é só Lisboa. Têm passado por dificuldades com a pandemia. É preciso que angariem mais sócios. A remodelação de maior parte das Casas está feita. Muitas têm atividades desportivas, uma delas é vice-campeã de futebol de praia. Têm de fazer parte da vida do clube.»

Benitez: «Não gosto de chamá-las de braço armado, mas sim de braço amado. Ainda bem que o Rui andou por lá. Já há algum tempo que não as visitava. As Casas estão a passar por dificuldades enormes. Houve algumas em que os donos das casas avançaram com próprio património. Grande parte dos sócios das Casas não são sócios do Benfica, são apenas das Casas. E s Casas precisam de dinheiro. Cada sócio novo que as asa tragam, recebem vitaliciamente 25 por cento dessa quotização. Outra ideia: uma central de compras para elas e baixar o custo. As Casas têm de ser preservadas.»

Politica de transferências

Benitez: «Acho que andámos a navegar à vista. Num dia, o chief sout tem muita importância, depois não. Num dia, é o treinador que diz quem se contrata, no outro não. Não podemos ser um entreposto. O Benfica não pode comprar jogadores para vender, tem de comprar jogadores para vencer. Queremos acabar com a intermediação. Não é acabar com os agentes, é com os intermediários. Qual é a mais-valia que o senhor Bruno Macedo deu, que depois acabou na operação ‘cartão vermelho’? É uma boa forma de baixarmos custos.»

Rui Costa: «A visão da Lista A é a deste mercado. Contratou 7 jogadores que estão a fazer a diferença. O que procurámos foi que as contratações fossem bem miradas. Buscámos um seis e um oito porque eram as necessidades. O scouting conta sempre. É o scouting que faz estas análises constantes para depois nós escolhermos. O scouting analisa, não contrata. O papel do scouting tem sido enorme. Nos 100 milhões de euros do ano passado contratámos internacionais pelas suas seleções. Não posso contratar jogadores dos quais gosto muito, mas que não servem o meu treinador. Há aqui um triângulo em que as contratações sejam efetivas.»

Objetivos do futebol

Rui Costa: «Ninguém pode estar numa posição destas, num clube como este e não pensar que tem de liderar o futebol nacional. Temos de recuperar a liderança. Há uma estratégia bem delineada para p futebol. Um plantel curto, homogéneo, usando a nossa formação, de maneira que seja um plantel que nos permita pensar que vamos ser líderes a nível nacional e que vamos ter papel importante na Europa, como esta época está a correr. Em relação a entidades ou não, o Benfica tem de liderar em tudo, nas instituições no seu papel social. A relação com os rivais? Sporting e FC Porto serão sempre rivais, em termos de industria de futebol o que tem de ser feito será feito, em relações pessoais, mantêm-se as que têm comigo, mas de respeito e de defesa do meu clube.»

Benitez: «Vamos objetivar: o que queremos é hegemonia, ganhar três campeonatos em quatro e uma presença constante nos oitavos e quarto de final da Champions. Vamos ter uma estrutura e depois construir estrutura. Gosto de ouvir falar que quer plantéis curtos, ainda bem, antes não pensava assim. Com contratações cirúrgicas e a partir daí definir o perfil para o jogo. O Benfica tem de se dar ao respeito, a relação com Liga e FPF tem sido menos ativa do que aquilo que eu gosto. Rivais? Os nossos pilares são transparência e democracia e não vamos relacionar com nenhum clube em que esses valores não sejam pilares também, para esses, a porta da Luz está fechada.»