Conselho de Disciplina vai recorrer da decisão Do TAD favorável ao Benfica

Advertisement

TAD deu razão aos encarnados, mas o Conselho de Disciplina mantém a mesma estratégia e vai recorrer aos tribunais administrativos – onde costuma ganhar – no caso dos cinco jogos de interdição da Luz

O Conselho de Disciplina (CD) da Federação Portuguesa de Futebol (FPF) vai, apurou O JOGO, recorrer para o Tribunal Central Administrativo Sul da recente revogação do castigo de cinco jogos de interdição do Estádio da Luz.

Agora sob a presidência de Cláudia Santos, que sucedeu no cargo a José Manuel Meirim, o CD mantém a mesma estratégia, não deixando os processos finalizarem na instância de recurso e vai contestar a decisão do Tribunal Arbitral do Desporto (TAD) – desfecho que até tem conseguido contrariar após recurso para os tribunais administrativos.

O apoio ilícito às claques não legalizadas, que já levara o CD a decidir-se pela interdição da Luz por cinco jogos, foi motivo para nova sanção, desta feita por dois jogos (e 1020 euros de multa), por parte deste organismo, agora no jogo desta época com o Braga, na Taça de Portugal.

O Benfica já fez saber que também recorrerá para o TAD desta sanção anunciada na passada terça-feira. Porém, se mantiver a mesma estratégia, o CD levará a matéria, de novo aos juízos administrativos.

Recorde-se que o CD, em meados de maio, tinha vencido todos os 17 processos que chegaram aos tribunais superiores relacionados com infrações cometidas por adeptos, a esmagadora maioria do FC Porto. E já em junho, o Supremo Tribunal Administrativo conferiu a 18.ª decisão favorável à FPF.