Advertisement

Depois dos 12 milhões perdoados ao sporting, vem aí outro "perdão"

Advertisement

É tudo normal e ninguém abre a boca. Uns cumprem e são obrigados a financiar-se com obrigacionistas a juros de 7 e 8%. O sporting não paga, tem as receitas de TV entregues até aos netos e ainda lhe são perdoados os juros da dívida pelos bancos que sobreviveram com dinheiro de todos os contribuintes. É preciso ver que é tudo normal e como o é, ninguém fala mas se fosse ao contrário até nas sedes do banco abriam jornais.

12342611_10207314811764278_4303485551951838592_n

As VMOC, emitidas no valor de 47,925 milhões de euros, significam que o Sporting tinha até 17 de janeiro de 2016 para pagar aos bancos os tais 47,925 milhões de euros, ou as VMOC eram transformadas em ações e entravam no capital social da SAD. O dia 17 aproxima-se e o Sporting ainda não pagou, nem tem capacidade para pagar, aos bancos esses 47,925 milhões de euros. Portanto se nada fosse feito até 17 de janeiro do próximo ano, as VMOC convertiam-se automaticamente em ações e o Sporting perdia o controlo da SAD. Para além destas VMOC no valor de 47,925 milhões, o sporting tem outra de 80 milhões que vence em 2026, ano em que querem estender as VMOC que acabam o prazo a dia 17 de janeiro de 2016.

1931431_10207389136382347_3004800552019102361_n

É verdade que são bancos privados, mas que foram intervencionados pelo Estado. E não receberão mais dinheiro. A menos que, pela primeira vez desde que há SAD em Portugal, haja uma distribuição de dividendos.
Caso exista uma distribuição o sporting recebe mais um perdão e fica sem pagar juros de 6,5% que paga atualmente. Depois do perdão dos 12 milhões em juros que foram feitos há uns anos atrás, este é um novo cenário da brilhante gestão do clube que anda na praça a dizer que o clube respira saúde financeira.

12376167_10207389168663154_4801427425482759437_n

A gestão à “empurra com a Barriga” é muito simples. Sabendo que até 17 de janeiro de 2016 tinha de pagar os 47,925 milhões, o presidente do clube decide contratar Jorge Jesus com um salário de 5 milhões/ano fora o que recebe a equipa técnica. Com esse treinador esperava dinheiro imediato com a liga dos campeões. Em vez disso o treinador deu ao clube 21 milhões de euros em prejuízo ao não se qualificar para a fase de grupos da competição milionária. Os lucros de um trimestre para o outro caem 99,7% mas ele continua a empurrar com a barriga aumentado-se no ordenado em 1000%. As primeiras contas começam a aparecer para pagar e em empresários e afins o clube do lumiar deve perto de 44 milhões de euros (sem contar com a Doyen). Não tem intenção de pagar já as VMOC de 47,925 milhões de euros e a empresa de serviço de limpeza é o que se conhece.

Mesmo com estes dados públicos, nem uma palavra sobre o assunto nos média. O negócio da NOS/SLBenfica foi o contratar de analistas, uma semana de especulações para depois chegarem ao esclarecimento do negócio e os principais jornais não questionarem uma única vez. Com um caloteiro como o sporting o silêncio é profundo dando a entender que está tudo bem. Até o presidente que não tem patrocinadores nas camisolas diz que “os parceiros mantiveram-se firmes no seu apoio e têm vindo a aumentá-lo”. Uma festa não estaria ele a entregar um prémio stromp a um treinador que está há 5 meses na casa ignorando Marco Silva que quebrou o jejum de troféus no futebol que já durava há 7 anos.

O Sport Lisboa e Benfica obrigado a financiar-se com obrigacionistas a juros de 7e 8% (actualmente 4,75%) e cumpriu sempre com os seus compromissos como continua a cumprir, mas a mensagem que passam é que o clube da luz foi obrigado a vender os seus direitos porque deve dinheiro a meio mundo e tem de abater passivo.

Comentários

Botão Voltar ao Topo
A semana dos recados