Home Destaque Desporto e iGaming – Uma relação frutífera explicada em 4 passos

Desporto e iGaming – Uma relação frutífera explicada em 4 passos

Desporto e iGaming – Uma relação frutífera explicada em 4 passos

Acima de tudo, o desporto é uma paixão que cativa milhões de fãs e atletas um pouco por todo o mundo. Mas como todos os grandes fenómenos, o desporto também é um negócio, e a sobrevivência financeira é essencial para todos os grandes e pequenos eventos, clubes, e associações desportivas. Na última década, a economia do desporto tem passado de forma incontornável pela indústria do iGaming. O termo refere-se ao sector de jogos e apostas online, que passa não só pelos principais bookers de apostas desportivas como por atividades de casino que incluem jogos como as slots, o poker, ou a roleta.
Na economia, é difícil falar em casamentos perfeitos. Mas não existem dúvidas de que a união entre os mundos do desporto e do iGaming tem dado azo a um grande crescimento económico. Para percebermos melhor esta relação (que ameaça dominar a indústria desportiva nos próximos anos) precisamos de olhar para os quatro principais fatores que justificam a relação forte que existe entre as instituições desportivas e as grandes marcas do iGaming.

1 – Maior compromisso com os fãs

Da mesma forma que o negócio do desporto depende dos fãs, o mesmo se pode dizer da indústria do iGaming. No entanto, o sector do iGaming permite uma aproximação única entre os fãs e os seus clubes e modalidades de eleição. Porquê? Porque, na sua essência, o iGaming existe para que os fãs de desporto possam ter um contacto ainda mais próximo com as suas competições favoritas. Isto acontece não só no caso das apostas desportivas, mas também no caso dos jogos de casino online.
Não é por acaso que as maiores marcas de iGaming insistem em recrutar atletas de renome para patrocinar os seus serviços. Nem por acaso que os serviços de jogo online são pioneiros na exploração de modalidades de vanguarda, que incluem nichos como os e-sports ou as corridas de cavalos. Graças ao advento do iGaming, os fãs de desporto dispõe ainda da possibilidade de apostar a qualquer momento e a partir de qualquer lugar, o que faz com que todas as grandes competições de desporto se tornem ainda mais envolventes e emocionantes.

2 – Jogos inspirados em desporto

Ao estilo corporativo do capitalismo contemporâneo, as grandes marcas de iGaming esforçam-se para desenhar os melhores serviços possíveis para os seus utilizadores. É por isso que os casinos online se têm tornado cada vez mais modernos, completos e acessíveis. Em países como o Reino Unido, os Estados Unidos, ou a Austrália, o iGaming já se tornou num dos passatempos favoritos da população. Portugal, onde o jogo online é legal desde 2015, não é exceção: no último trimestre do ano passado, mais de 670 mil utilizadores recorreram a serviços de apostas desportivas e casino online licenciados em território nacional.
De modo a conceber jogos cada vez mais envolventes, os serviços de iGaming têm recorrido com cada vez mais periodicidade a temas de desporto. O caso das slots é exemplar. Na secção de Jackpots Casino do 888, por exemplo, podem encontrar-se vários jogos de slots inspirados em futebol, como o Jungle Goals ou o Super Striker. As slots inspiradas em temas desportivos são demonstrativas da relação cada vez mais próxima que existe entre o iGaming e a indústria desportiva.

3 – Partilha de dados

A relação entre o iGaming e o desporto também se dá a nível directo. A NFL (a principal liga de futebol americano) assinou um acordo com uma marca de iGaming em 2019 com o objectivo de partilhar dados. Num momento em que a data informática representa uma das maiores fontes de rendimento de todo o tipo de serviços online, faz sentido que as principais instituições desportivas partilhem informações acerca dos seus fãs com as empresas de apostas e casino online. Esta partilha de dados permite que tanto a NFL como as marcas de iGaming desenvolvam novas soluções que melhorem a experiência dos seus utilizadores e adeptos.

4 – Acordos de patrocínio

Finalmente, é preciso destacar o papel que as marcas de iGaming têm enquanto patrocinadoras de desporto. Afinal, o iGaming é um sector que está avaliado em mais de 41.7 biliões, o que significa que existe muito dinheiro para apoiar clubes e competições. Estes patrocínios são tão importantes que podem muitas vezes representar a diferença entre o descalabro económico de um clube e a sua salvação. O Stoke City, de Inglaterra, é um exemplo clássico.
Um clube que atualmente milita no Championship (equivalente à II Liga de Inglaterra), o Stoke enfrentava uma grave crise económica quando foi “salvo” pelo empresário Peter Coates. Um investidor do sector do iGaming, Coates usou o histórico inglês para promover os seus negócios online e acabou por permitir que o Stoke escapasse à bancarrota. É apenas um dos vários casos em que uma grande instituição desportiva (o Stoke City foi fundado em 1863) acabou por sobreviver graças ao apoio das grandes marcas do iGaming.