Depois das fakes news, vem a falta de audição. Para além de terem revelado os áudios do e-toupeira também tentam enganar os poucos leitores que ainda têm.

Segundo que os áudios que foram revelados, Paulo Gonçalves disse que oferecia cerca de 300 bilhetes por ano. Ora o Record escreve isto na sua edição em papel.

2 a 3 mil bilhetes por jogo? É esta a credibilidade de um jornal que em tempos era um JORNAL!