Elsa Tiago Judas nem consta nos últimos cadernos eleitorais do Sporting

Elsa Tiago Judas é uma figura que emerge no universo leonino, ela que, depois de várias aparições na Sporting TV, integra a Comissão Transitória para a Mesa da Assembleia Geral e irá ser proposta como presidente deste órgão na Assembleia Geral agendada para o dia 21 de julho.

Ora, para assumir este cargo, a jurista tem de cumprir o que diz explicitamente o Artigo 53.º dos Estatutos do Sporting, que se refere concretamente à composição da Mesa da Assembleia Geral.

Nele, pode ler-se no ponto 2: «O presidente da Mesa da Assembleia Geral deverá ter pelo menos vinte anos de inscrição ininterrupta como sócio efetivo A, e ter pago ininterruptamente, pelo menos nos últimos vinte anos anteriores à data de eleição, as quotas de valor máximo do escalão de base».

E o nome de Elsa Tiago Judas, sócia 29109 do Sporting, não consta nos últimos cadernos eleitorais, elaborados em 2017 (ver na imagem em cima), tal como aconteceu também em 2013, sendo legítimo levantar dúvidas quanto à sua legitimidade para assumir a presidência da MAG.

Contactada por A BOLA, Elsa Tiago Judas não se mostrou nada preocupada com o assunto, na medida em que, garante, esteve sempre em dia no que diz respeito ao pagamento de quotas. Mais: a jurista nem sequer encontra explicação para o seu nome não constar nos cadernos eleitorais de 2017. «Não consto nos cadernos eleitorais de 2017? Não faço ideia porquê…», atirou.

Elsa Tiago Judas garantiu ainda que «as quotas têm sido sempre pagas», como que a deixar claro que está em condições de assumir o cargo de presidente da MAG.