Encher o campo nº1 do Benfica Campus

PUB

Quando hoje, às 20h00, as “Inspiradoras” entrarem em campo para defrontar o Bayern Munique, acreditamos que as bancadas do campo n.º 1 do Benfica Campus estarão pintadas de vermelho. Elas merecem, porque o percurso realizado até esta estreia na fase de grupos da Liga dos Campeões, por si só, representa uma muito relevante evolução no estatuto da equipa feminina de futebol, que ocupa agora o 46.º lugar no ranking da UEFA e que há menos de um ano se estreou na principal competição europeia de clubes – vitória 3-1, em Salónica, frente ao Paok, a 4 de novembro.

As nossas futebolistas, campeãs nacionais na última temporada, com forte reconhecimento do universo benfiquista, prosseguem num rumo que tem cumprido aquilo que foi desenhado e afirmado há apenas quatro anos pelo Sport Lisboa e Benfica. O arranque na II Divisão assustou alguns analistas, mas a verdade é que, com muita segurança, este é um grupo de trabalho eminentemente associado a triunfos e conquistas. Obviamente, no desporto ninguém pode dizer que só serão alcançadas vitórias, pelo que o mais importante é criar condições e ter a humildade de querer continuar a crescer.

PUB

A garantia que temos para o embate desta noite é que estarão em campo dois clubes míticos da Europa que em 2021/22, por ironia do destino traçado pelos respetivos sorteios, se encontram na Liga dos Campeões em ambos os géneros. Um Benfica-Bayern Munique nunca será um jogo fácil e a exigência é ainda maior no feminino, cotando-se as experientes bávaras, neste momento, como o 4.º melhor plantel da UEFA Women’s Champions League. Esta é a primeira vez do Benfica entre a elite. A emoção associada ao dia de hoje é de entusiasmo e crença. A nossa equipa feminina tudo fará, como sempre, para honrar a camisola e mostrar que a evolução não pára aqui. Se em menos de quatro anos estamos entre as 16 melhores equipas da Europa, será fácil sonhar mais alto e acreditar que o tempo tratará de maturar a aposta e levar este grupo de trabalho — atualmente com uma média de idades próxima dos 22 anos — a maiores patamares. Mais que antever resultados, urge acreditar na juventude que vigora entre as “Inspiradoras” e que, com compromisso e resiliência, o hino habitualmente cantado em pleno túnel de acesso ao relvado se misturará na perfeição com um sentimento de comunhão a descer das bancadas. O presente tem de ser de responsabilidade e respeito pelo adversário, o futuro será certamente de forte expectativa e ambição. E Pluribus Unum, “Inspiradoras”!

PS: Assista hoje, às 22h00, na BTV, à entrevista a Francisco Benitez, candidato pela lista B a Presidente da Direção do Sport Lisboa e Benfica.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.