Expresso dá eco às acusações de Rui Pinto sobre bilhetes sem questionar

Advertisement

O jornal Expresso demonstrou, mais uma vez, que não presta um bom jornalismo. Para vender e ter visualizações recorre à polémica sem questionar. Limita-se a fazer julgamentos na praça limita-se a prepar terreno para defender o grande salvador da pátria.

Hoje saiu naquele jornal, certamente aprovado pelo seu director que “ao mesmo tempo que as autoridades portuguesas enviavam um pedido às autoridades húngaras para alargar o meu mandado de detenção europeu, o ministro dos Negócios Estrangeiros da Hungria recebeu dois bilhetes VIP para jogos do Benfica e teve encontros no estádio do Benfica. Isto é o Benfica”.

Se fosse feito um jornalismo sério e honesto todos os meios de comunicação desmentiam, na hora, a novela que Rui Pinto criou no Expresso.

Em 2004 onde andava Rui Pinto quando o Benfica foi distinguido com o “Prémio Humanidade” pela homenagem do clube a Miki Fehér? Prémio atribuído pela Federação Húngara.

Em 2009 parece que o Rui Pinto foi ao futuro para saber que seria graças a um bilhete para a bola, que ia ser apanhado na Hungria a 16 de janeiro 2019(ficção). Tudo porque o Benfica decidiu criar os “Prémios Miklos Fehér” que premeia anualmente atletas húngaros e convida os melhores alunos de Gyor a visitar o clube. O clube também foi ao futuro e sabendo que ia ser roubado na sua correspondência, decide criar um esquema que mais tarde levaria à captura do ladrão dos e-mails(ficção).

Em 2014 em vez do Benfica se precaver do possivel roubo do hacker e esconder o roubo das bolachas da Magda, decidiu inaugurar a estátua de Bella Guttmann. Esse momento contou com a presença do Secretário de Estado do Ministério dos Negócios Estrangeiros da Hungria e o clube deve ter dado os famosos e raros bilhetes para a bola, que mais tarde levariam à captura do ladrão de e-mails em 2019.

Já a 4 de outubro de 2019 com os e-mails cá fora e com o ladrão preso, o Benfica volta a ter Embaixador da Hungria em Portugal no Estádio da Luz, numa homenagem a Guttmann e Miki Fehér. Todos nós sabemos que Rui Pinto só pode ter visto na sua viagem ao futuro que o Benfica deu os bilhetes raros em troca de algo mais. Estando preso como iria saber que isso aconteceu? Mesmo com a viagem ao futuro como se deixou apanhar?

Sabe quando é que mandato de detenção foi alargado? A 29 de agosto de 2019. Antes da visita do Embaixador.

Ministro dos Negócios Estrangeiros da Hungria esteve no Estádio da Luz a 11 de agosto de 2019. E também esteve 23 de julho de 2020. É aqui que o tipo diz que foi graças aos bilhetes que o seu mandato foi alargado.

Com a verdade misturada com a ficção das idas ao futuro e afins vamos a coisas sérias.

Como é que a imprensa se verga a uma acusação como estas? Como é que esta imprensa não tem coragem de confrontar com factos e datas quando este tipo vem acusar o clube. No meio deste circo todo uma coisa é certa, nunca foram bons com datas. Toda a gente sabe que o Benfica recebe os melhores atletas húngaros em homenagem a Guttmann e Miki Fehér. Toda a gente sabe que qualquer personalidade daquele país vai ao Estádio da Luz pelas homenagens que têm sido feitas todos os anos. Toda tem a capacidade para conferir datas de todos os acontecimentos para perceber que é falso o que este tipo diz.

Ter um hacker a fazer-se de vitima acusando o Benfica de controlar este mundo e o outro com, imagine-se, bilhetes para a bola, é de alguém que precisa de apoio psiquiátrico. Para ele e para quem o segue.

Em 2004 o Benfica sabia que ia ser assaltado em 2017 e que só apanharia o hacker em 2019 se oferecesse uns bilhetes para a bola. Que foi graças a esses bilhetes para jogos onde nem havia publico nas bancadas em julho de 2020 que o mandato de detenção foi alargado em a 29 de agosto de 2019. Espere, ele recebeu os bilhetes em 2019 e como gostou tanto que vio em 2020 quando não podia haver publico nos estádios. E é isto. Bom trabalho imprensa!