Foi muito tenso o ambiente vivido no final do FC Porto-Santa Clara da Taça da Liga e, segundo o que o nosso jornal apurou, Fábio Cardoso foi mesmo apertado no túnel do Dragão. Uma reação de elementos ligados aos azuis e brancos que resultou da entrada violenta do central sobre Romário Baró, que vai colocar a jovem promessa portista fora de combate por algumas semanas.

A efervescência não envolveu contacto físico, mas terá sido pautada por injúrias e ameaças. Segundo as informações recolhidas pela imprensa, o delegado da Liga presente no local reportou a existência de uma confusão, mas sem indicar em concreto quem terão sido os agentes envolvidos. Por esse motivo, o CD da FPF não vai avançar com qualquer medida disciplinar até reunir outros meios de prova, nomeadamente o relatório policial, que costuma demorar alguns dias a chegar à Cidade do Futebol. Para não variar tudo viu mas ninguém viu quem foi.

Certo é que, apesar do ocorrido durante a partida, Fábio Cardoso trocou cumprimentos com vários jogadores do FC Porto e acabou por abandonar o campo junto ao árbitro António Nobre, explicando que o seu ato sobre Baró não havia sido intencional. O detonador do conflito foi o pedido de camisola que um adepto fez ao central do Santa Clara. Este acedeu, mas elementos dos dragões reagiram mal ao facto de um apoiante seu ter tomado essa atitude para com um adversário que acabara de lesionar Romário Baró. O escalar do conflito envolveu João Henriques, mas também um dos seus adjuntos, o preparador físico Alberto Carvalho. A PSP acalmou os ânimos, procurando afastar do local quem estava com ‘sangue quente’.

Livre de suspensão

Mesmo que Romário Baró fique parado, não existe possibilidade de Fábio Cardoso ficar suspenso enquanto a recuperação durar. O ato do central não foi considerado agressão, nem sequer tendo sido expulso, pelo que fica livre de uma paragem forçada.