Está oficialmente desfeita a confusão: o Sporting Clube de Portugal conta no seu palmarés com 18 títulos de campeão nacional e não 22 como tem reivindicado a estrutura leonina,

O clube de Alvalade alegava considerava os títulos do Campeonato Portugal, uma prova criada em 1922 e que se jogou até 1938, o antecessor da Primeira Liga de Futebol. Com os quatro troféus conquistados durante esse período, e com os 18 campeonatos conquistados desde então, o Sporting garantia ter no seu Museu 22 títulos de campeão.

Ora, a Federação Portuguesa de Futebol (FPF) veio agora introduzir alguma clareza à discussão: de facto, o Campeonato de Portugal é o antecessor da Taça da Portugal. Logo, os troféus conquistados nessa prova não devem ser considerados títulos de campeão nacional.

Recorde-se que o Sporting publicou, num primeiro momento, o Almanaque do Sporting, da autoria do jornalista Rui Miguel Tovar, onde se podia ler que o clube de Alvalade só dispunha de 18 títulos de campeão nacional. Esta informação foi confirmada pelo próprio Rui Miguel Tovar em plena apresentação do Almanaque.

Confrontado com este facto, o Sporting decidiu publicar uma nova versão do Almanaque com uma atualização do número de títulos. O livro, desta vez, não contou com a assinatura de Rui Miguel Tovar, porque o jornalista não concordou com aquilo que considerava ser uma tentativa de “revisionismo” do clube leonino. “A notícia é verdadeira. Como não alinho neste revisionismo, abdico do nome, prefácio e agradecimentos, nesta segunda edição. Abraço”, esclareceu então o jornalista.

Bruno Carvalho, por sua vez, continuou a pedir o 23º título. “Quero o 23º título de campeão nacional. É por direito próprio e por factos que a história documenta que temos 22 títulos nacionais de futebol conquistados. O futebol não começa, por decreto e para outros, por uma data escolhida porque dá jeito ou porque lhes convém”, defendeu na altura o ex-presidente leonino.