A táctica não é nova e já cheira a um clássico naquela comunicação. Sempre que há uma festarola, um problema com o treinador ou um processo, eles atiram com algo do Benfica para não falarem dos problemas do seu clube. Agora é a vez do aniversário dos Diabos Vermelhos em que o presidente do Benfica esteve presente. Um dos directores de comunicação do FC Porto, o mesmo de sempre, o mesmo que dá mais despesa ao clube que o salário do seu presidente, considera que é uma vergonha uma festa de aniversário com presidente do Benfica.

“O poder do benfiquistão manifesta-se de forma exemplar na questão das claques ou não claques. Nunca são claques quando daí resulta alguma coisa para o Benfica. As claques beneficiam de várias coisas feitas para as claques e estas às vezes mais. Lembro-me de um jogo da supertaça, há dois anos, em que as claques do Benfica já estavam a pôr faixas bem antes do início do jogo. E só as claques podem por faixas. E se nós fingirmos que isso não acontece estamos a caucionar esse tipo de comportamento. Nós não o fazemos. Mas há muita gente que o está a fazer e gente com responsabilidade. Tem que acabar a pouca vergonha”, concluiu Francisco J. Marques.

Vergonha é os últimos 8 jogos europeus do FC Porto. Vergonha é a festa de aniversário em que os jogadores pagam apenas multa. Vergonha é o presidente do FC Porto saber e não reagir. Vergonha é os milhões adiantados por falhar a champions e por fazer previsões contando com as vitórias até à final da Liga Europa.

Vergonha é andar a ser beneficiado nos jogos para o campeonato. Vergonha é usar tarjas contra o Benfica, juízes, árbitros e Primeiro Ministro e levar apenas multa. Vergonha é ter um director de comunicação a acusar tudo e todos e o tal Benfiquistão, o que tem o poder, ter de pagar 40 mil euros por expor casos em que o FC Porto é beneficiado. Vergonha é ser condenado em tribunal por truncar e-mails. São tantas e tantas que a CMTV teria programas para a semana.