Capitão da equipa de voleibol do Benfica e médico, Hugo Gaspar está na linha da frente da batalha que Portugal e o mundo travam com a pandemia de COVID-19.

A dedicação de corpo e alma do dr. Gaspar ao jogo mais importante do momento, o da luta pela vida, foi destacada pela agência espanhola EFE.

Isolado da esposa e dos filhos, a morar sozinho num apartamento e dedicado em exclusivo aos seus 1800 pacientes em Lisboa. É assim que Hugo Gaspar tem vivido esta crise pandémica.

Hugo Gaspar

Consciente da relevância do seu papel enquanto médico, Hugo Gaspar assegurou que não tem medo, mas confessou que sente alguma “ansiedade” pelo facto de poder estar em contacto com infetados por COVID-19. O mais importante, salientou, é “identificar rapidamente os casos positivos”.

Hugo Gaspar referiu que esta pandemia vai trazer problemas a nível financeiro, mas também psicológico. “Também faço acompanhamento familiar e não tenho dúvidas de que novas doenças surgirão devido a este isolamento e a esta extensa quarentena. Os problemas económicos das famílias vão levar a muitos problemas de saúde”, comentou a agência EFE.

Hugo Gaspar

A nível desportivo, o oposto da equipa de voleibol do Benfica é da opinião de que “a sociedade voltará à normalidade”, embora esteja ciente que “tanto os clubes como os atletas terão de enfrentar uma crise“, que “será ultrapassada”, acredita.

Hugo Gaspar continua a tirar uma hora todos os dias para fazer os seus treinos físicos. “Os atletas não podem desistir, e treinar também é uma maneira de aliviar a cabeça“, confessou.