Interditar JN por insultos vale multa ao Benfica

O Conselho de Disciplina (CD) da Federação Portuguesa de Futebol (FPF) condenou a SAD do Benfica com uma multa de 4 080 euros por ter barrado a entrada do JN em dois jogos do campeonato, no Estádio da Luz. Pelo mesmo motivo, o diretor de Comunicação dos encarnados, Luís Bernardo, foi punido com uma multa no valor 2 040 euros.

Em causa está a violação disciplinar, com grau elevado de ilicitude e culpa, que obriga os diretores de imprensa a credenciar os jornalistas e os clubes a providenciar para que nenhum elemento dos corpos dirigentes impeçam jornalistas de cumprirem o seu trabalho – artigos 56º, 1, c e 64º, nº 19, respetivamente, do Regulamento Disciplinar da Liga.

JN

Recorde-se que um jornalista do JN foi impedido de exercer as suas funções no Estádio da Luz, nos jogos Benfica-Portimonense e Benfica-Rio Ave, das 9.ª e 10.ª jornadas da Liga, disputadas, respetivamente, a 30 de outubro e 2 de novembro devido ao facto de o jornal não condenar as declarações insultuosas do seu empregado.

Quanto a esta decisão do CD da FPF, refira-se que é passível de recurso para o Conselho de Justiça e para o TAD no prazo de cinco dias úteis.

O Benfica na altura explicou o motivo. “O Sport Lisboa e Benfica lamenta que, passados quatro dias das insultuosas declarações, amplamente divulgadas e comentadas, por parte de um jornalista do Jornal de Notícias, durante a conferência de imprensa realizada pelo treinador Jorge Jesus no final do jogo Flamengo-CSA, até hoje, da parte da Direção daquele órgão de comunicação Social, não exista nenhum esclarecimento sobre se aquela intervenção se identifica ou está de acordo, ou não, com as orientações da sua linha editorial”, começa por ler-se.

“Face a este silêncio e não esclarecimento da sua posição, entendeu o Sport Lisboa e Benfica não acreditar e autorizar o acesso às suas instalações por parte de representantes de um órgão de comunicação social que não se comporta como tal, de acordo com todos os códigos orientadores do sector e da prática do jornalismo.”, acrescenta-se.

Benfica condenado por barrar jornalista

JN mantém o silêncio sobre o jornalista e o vídeo da conferencia é apagado

Benfica confirma que proibiu JN e lamenta atitude do jornal