O secretário de estado da juventude e do desporto comentou as palavras do treinador do Benfica, Bruno Lage, sobre o que aconteceu nas bancadas durante o Académica-Benfica.

“As afirmações do treinador do Benfica são afirmações que eu, de alguma forma, também compreendo, ainda que tenhamos sempre de perceber que vivemos num Estado de Direito. Há uma lei, as leis têm de ser cumpridas e é nesse sentido que temos de trabalhar. Mas eu percebo porque no fundo a sua afirmação é a afirmação de alguém que também não quer a violência nos estádios de futebol ou em qualquer recinto desportivo. E portanto compreendo em parte o que quer dizer. Mas, além de compreender, eu espero que as suas declarações sirvam para também de alguma forma dar exemplo e desde logo aos seus próprios adeptos. Se nós tivermos todos os treinadores, todos os dirigentes, todos os responsáveis a fazer apelos neste sentido, de não-violência, tenho a certeza de que isso é um bom início”, referiu à TSF.

João Paulo Rebelo lamentou ainda o facto de este episódio ter tido lugar num encontro de preparação: “Lamento que tenha acontecido. A violência não tem lugar no fenómeno desportivo, não pode ter lugar. Nós temos todos de combater no sentido da erradicação destes fenómenos da violência, mas obviamente que ainda lamento mais quando acontece num jogo amigável. O conceito de amigável nada tem que ver com confrontos e violência”.