Jorge Jesus “falou e disse”

Advertisement

Declarações do treinador do Benfica à BTV após o triunfo por 2-0 frente ao Famalicão.

Regresso ao banco: “Não tem sido fácil. Estive 15 dias sem ver os jogadores, sem poder treinar. Este covid arrasou o Benfica. Tirou a equipa técnica, tirou a equipa médica. Só três jogadores é que não tiveram covid. Se tivesse de jogar não jogava. Afetou-me muito. A equipa perdeu competitividade, confiança, felizmente não teremos covid-19 no futuro. Fizemos uma meia hora muito boa. Dez jogadores voltaram e oito foram para casa. Andámos nisto dois meses. Cada um no seu quarto, parecemos uma equipa fantasma. Vai passar e felizmente devemos ficar imunes e poder readquirir níveis técnicos e táticos. Queremos ter 70/ 80 minutos a nível alto. Uma coisa é jogar de três em três dias, pior ainda é estar tanto tempo sem treinar. O Benfica numa semana teve dez jogadores infetados”.

Responsabilidade: “Não é uma desculpa, assumo a minha responsabilidade como treinador, mas médico não sou. Vamos recuperar jogo a jogo, porque a partir de hoje deixamos de ter jogadores doentes. Nenhum dos adversários teve covid-19, convém dizer-lhes algumas coisas, vamos ver se não terão também. Nós sabemos o que passámos. 50 pessoas infetadas no clube.”

Sem penáltis no campeonato: “Não dá para perceber não termos nenhum a favor, no último jogo houve sobre o Pizzi, nos jogos anteriores viu-se que em caso de dúvida não se marca. Já tivemos casos para o VAR examinar. Os árbitros não se dão ao trabalho de ir ver, mas o problema não é esse. Íamos ter uma equipa para arrasar e foi o covid que arrasou. Não sabem o que é ter uma equipa médica e treinadores doentes. Também sofri, não é uma constipação.”

Futuro: “Chiquinho, Samaris e Rafa foram os únicos sem covid. Queremos recuperar o Rafa e o Luca (Waldschmidt), que estão lesionados, são muito influentes na manobra ofensiva da equipa. Vamos ter uma equipa saudável tecnicamente e psicologicamente. Vamos começar a cheirar-nos uns aos outros.”