Jorge Jesus: “O que importa é que, no fim, a vitória seja do Benfica”

Advertisement

11 anos depois, o Benfica está de regresso à fase de grupos da Liga Europa. Amanhã, em Poznan, as águias defrontam o Lech e Jorge Jesus aponta, desde já, a um arranque com o pé direito, não escondendo que o objetivo na competição passa mesmo por atingir a final, em Gdansk, Polónia.

 

«Defrontar o Benfica é sempre uma motivação extra para qualquer adversário por causa da nossa história e também pelo passado na nossa competição. Não queremos apenas passar pela Liga Europa, queremos chegar ao fim e chegar ao fim é poder estar na final em Gdansk. Mas uma coisa de cada vez, primeiro temos a fase de grupos e queremos começar bem, com uma vitória. Sermos favoritos não quer dizer que tenhamos mais capacidade do que o nosso adversário. Uma coisa é o jogo, outra é a história de cada clube. Teremos de mostrar dentro de campo que somos melhores», disse, prometendo um Benfica a assumir o jogo.

 

«Vamos sempre tentar assumir o jogo seja onde for, isso faz parte da nossa ideia. Podemos é não conseguir porque o adversário não deixa e também tem qualidade técnica e tática para o fazer. A partir do momento em que o sorteio ditou esta equipa no nosso grupo começámos a estudá-la. Para além do Pedro Tiba, um jogador que conheço muito bem e que já em Portugal tinha um valor elevado, será um adversário que nos vai arranjar alguns problemas e até poderá estar por cima em alguns momentos mas estamos preparados para isso. O que importa é que, no fim, a vitória seja do Benfica.»

 

Com quatro vitórias em outras tantas jornadas no Campeonato, Jorge Jesus não quer, para já, ouvir falar em rotação de jogadores nesta competição.

 

«Ainda não se coloca essa questão da fadiga acumulada. O facto de termos agora um ciclo grande de jogos não quer dizer que vá haver grandes mudanças. As que houver não serão pelo cansaço do jogo com o Rio Ave», lembrou.