Bola” vai avançar para um lay-off que ronda os 50 profissionais, incluindo jornalistas, gráficos e administrativos, confirmou ao Expresso o diretor do jornal, Vítor Serpa.

Descrevendo a situação atual da imprensa desportiva como “calamidade pública”, o responsável referiu-se a uma quebra de vendas na ordem dos 40%.

O lay-off, que para já terá a duração de um mês, foi “a solução encontrada pela administração como a menos danosa, tendo em conta os efeitos devastadores da atual situação”.

A quebra da publicidade, designadamente das apostas desportivas, o encerramento de grande parte dos postos de venda e o facto de todas as modalidades desportivas estarem “no congelador” são apontados por Vítor Serpa como os motivos para a decisão tomada.