Este tema vem aqui parar porque é para você perceber o mau que vai um jornal que em tempos foi bom. Lembra-se do e-toupeira que deu em e-nada mas que mereceu primeira capa e mais tarde foi chutada para a penultima página? 147 crimes não valem uma chamada de capa? Para o Record que usou e abusou do que divulgava o Rui Pinto não. E a mais recente capa de que o Mister Lage ia poupar novamente na Taça da Liga quando ontem disse que não faz poupanças? Talvez seja por isso que a Cofina ontem não tenha direito a uma pergunta.

O que está em causa e o que motivou uma pequena brincadeira entre Benfica, Sporting e Nacional foi o tema Cristiano Ronaldo e o facto de “ter sido Benfiquista”. Uma brincadeira saudável que podiam repetir mais vezes, porque é dessas que o desporto precisa, desde que encaradas com humor e desportivismo. Infelizmente para o Record não foi algo incendiário e como tal acabou num cantinho de uma página na rubrica “fora de campo” junto ao Euromilhões.

Ronaldo numa entrevista ao Mais Futebol diz que gostava de voltar a encontrar as senhoras que lhe davam hambúrgueres. O Record decidiu fazer a sua brilhante investigação e diz que encontrou a “Dona Edna”. Tirando os classificados para maiores de 18, o Record deu-lhe 3 páginas no jornal sobre o tema. Lage teve apenas 2 páginas por exemplo… mas não é isso que é grave, o grave é não saberem fazer contas.

“Quando era miúdo, com uns 12 anos, não tínhamos dinheiro. E vivíamos juntamente com outros jovens jogadores provenientes de outras zonas do País. Era um período complicado, sem a minha família por perto. Às 22h e tal ou às 23h, tínhamos fome e havia um McDonald’s por perto. Pedíamos os hambúrgueres que sobravam e uma senhora chamada Edna, mais outras duas raparigas, davam aquilo que sobrava. Espero que esta entrevista ajude a encontrá-las porque queria convidá-las para jantar comigo, em Turim ou em Lisboa. Quero poder devolver aquilo que fizeram por mim. Nunca me esqueci desse momento”, revelou o avançado português, de 34 anos.

A ver se eu percebo: A Dona Edna tem 36 anos. O Ronaldo tem 34. O Ronaldo disse que a “Dona Edna” lhe dava hambúrgueres quando ele tinha 12 ou 13 anos. Ou seja, quando a “Dona Edna do Mc Donald’s tinha 14 ou 15. É isso?
Estamos a falar de uma empresa internacional e não de um café familiar. Como pode alguém trabalhar no Mc Donald´s com 14 anos? É este o jornalismo de investigação?