José Manuel Viage, treinador do Montalegre, lamentou o castigo que o impossibilitou de se sentar no banco da equipa transmontana no jogo com o Benfica e deixou uma mensagem forte:

«Essa pergunta devia ser feita aos meus jogadores, mas claramente que sim. Eu sou o treinador deles e eles gostavam que fosse possível eu estar no banco, mas pelos vistos foi impossível. Apetecia-me dizer muita coisa sobre isto, mas não sei o que é que me pode acontecer-me.

Em Portugal, normalmente costumam ser muito fortes com os fracos e demasiado fortes com os fracos. Vou falar de dois ou três treinadores por quem tenho muito respeito e não tenho nada contra eles: Sérgio Conceição e Abel, dois excelentes profissionais, mas o que aconteceu é que o treinador Sérgio Conceição já foi expulso seis vezes e nunca deixou de estar no banco. O Abel Ferreira exatamente a mesma coisa. Se o José Manuel Viage tivesse uma equipa mais forte e outro nome, se se chamasse Jorge Jesus ou Rui Vitória ou José Mourinho, provavelmente não tinha de estar 80 dias [de fora] por causa de uma situação caricata e normal, que acontece no futebol: não foi uma coisa assim tão grave.

Não tiveram a sensibilidade de perceber que era o meu primeiro Montalegre-Benfica, onde teria muito prazer. Agora posso ter muitos ‘Benficas’ que nunca será igual. Tiraram-me deste jogo mas não tiraram uma exibição estrondosa dos meus jogadores.»