Liga define o processo do regresso do publico aos estádios

Advertisement

O Santa Clara-Gil Vicente será o primeiro teste de público nos estádios, mas a Liga já tem definidos os próximos passos para ter até 5 mil pessoas nos recintos desportivos.

De acordo com Sónia Carneiro, diretora executiva da Liga, a primeira fase, a arrancar nos Açores, terá até “mil pessoas sem ultrapassar 10% da lotação do estádio”, a “segunda fase passa por ter até 2500 pessoas sem ocupar 20% da lotação do estádio” e a terceira fase aponta a “5 mil pessoas sem ultrapassar os 30% da lotação dos estádios”.

Este plano será um dos pontos de discussão na reunião de amanhã, entre a Liga, a DGS e o secretário de Estado da Juventude e Desporto e secretário de Estado da Saúde.

“Pretendemos fazer testes com os adeptos dos clubes para ter a noção correta de como chegam ao estádio, dos circuitos utilizados, a sinalética que temos de adotar, regras de ocupação de lugares, controlo da bilhética”, esclareceu Sónia Carneiro, garantindo que a Liga irá fazer campanhas de sensibilização e prevenção para o comportamento adequado dos adeptos, em tempo de pandemia.

Para Filipe Froes, pneumologista e consultor da Liga, o “cenário de progressão da atividade” é a única opção viável, sendo que todos os riscos estão a ser acautelados. “No estádio, o adepto vai estar de máscara, a dois metros de distância. Quando não estiver no estádio pode estar sem máscara e a menos de dois metros. O risco no estádio é menor.”

O pneumologista falou ainda do jogo desta noite, no Estádio dos Arcos, para lamentar a falta de adeptos do estádio. “Se morasse em Vila do Conde, hoje estaria extremamente triste por não assistir ao jogo com o AC Milan. É uma oportunidade única no país. É penalizador”, afirmou.