RECORD – Sucede a João Gabriel, que esteve sempre na linha da frente em todas as ‘guerras’. Foi um ‘adversário’ difícil?

LB – Nunca senti isso como um desafio pessoal, pois em rigor nunca estive na mesma linha da frente. Estavam lá outros. João Gabriel é um bom profissional, fez um trabalho muito meritório e, por opção pessoal, partiu para outra etapa do seu percurso, onde, estou certo, irá ter sucesso. Gabriel fará sempre parte deste projeto. Será sempre bem-vindo e espero que ele contribua muitas vezes para o êxito do clube.

R – Revê-se no estilo que ele adotou?

LB – Não entro por aí. Gostaria de deixar muito claro que somos duas pessoas diferentes, pelo que é natural que no desenvolvimento deste cargo haja também diferenças. No entanto, no essencial, que é a defesa do Benfica, haverá uma linha de continuidade. Pelo meu passado profissional, não tenho sombras de ninguém. Temos estilos diferentes, mas partilhamos no essencial a mesma visão.