Mais Benfica menos polémica à rival. Mais coerência, menos hipocrisia

Advertisement

BenficaAs eleições do Benfica estão aí à porta e infelizmente o clima vai piorando. Em termos de opinião pessoal, apenas tenho falado com amigos próximos sobre estes acontecimentos. Tenho evitado falar de candidatos, polémicas entre candidaturas sempre na procura de defender o Benfica daquilo que eu acho que deva ser defendido. E é por não ser mais um promotor de divisão de sócios e adeptos como tenho visto noutras páginas. Algumas que até já gostei mais de seguir. Acho que esta divisão só nos é prejudicial porque enquanto nos insultados esquecemos do que realmente importa.

O país adormeceu com a notícia de que o actual presidente do Benfica teria o apoio na sua comissão de honra os sócios António Costa e Fernando Medina. Primeiro-Ministro e presidente da CM de Lisboa. Até ao momento o país parece parado e focado em atacar o apoio ao presidente do Benfica. São criticas atrás de criticas onde os apoiantes de determinados candidatos às eleições do clube se juntam aos nossos rivais. Chega até ser impressionante a forma com que alguns Benfiquistas e candidatos à presidência usem a cartilha do FC Porto para atacar o nosso clube. É preocupante ver candidatos a desvalorizar activos do clube fazendo lembrar Bruno de Carvalho e as palavras a Rui Patrício ou a William Carvalho. E isso entristecesse qualquer Benfiquista.

Um candidato ter apoio de um primeiro-ministro não é sinónimo de tudo o que o FC Porto já teve por exemplo. Aliás o Sport Lisboa e Benfica tem sido um clube cumpridor ao contrário de outros. Hoje os que atacam por ódio ao clube e atual presidente deveriam questionar os presidentes dos seus clubes. Não questionam, preferem atacar e ignorar o porquê de não se conseguir uma garantia bancária de 3 milhões de euros para se apresentar Toni Martinez por exemplo.

Entre ataques ao Benfica usam um discurso efectuado pelo director de comunicação do Benfica sobre a promiscuidade entre a política e o futebol. Nada mais que uma critica pelo facto de Pinto da Costa ter atribuído cargos na sua estrutura a políticos e não por estes apoiarem uma candidatura. “Pelos vistos é preciso relembrar o óbvio: pode um decisor político ter um relacionamento institucional com clubes de futebol? É óbvio que sim. Mas poderá e deverá fazê-lo pertencendo aos órgãos representativos desse mesmo clube? É óbvio que não”, disse Luís Bernardo.  O Benfica não fez mais que a sua obrigação pois do outro lado estavam as criticas do FC Porto à atual presidente do Conselho de Disciplina.

O Benfica nunca beneficiou de centros de estágio quase de borla, de apoios do erário público ao seu canal de televisão, etc etc… Ao contrário temos muito para falar.

Como já referido acima o exemplo que vai ver a seguir é o discurso de um candidato e de um dos membros do Conselho Superior do FC Porto. Lamentavelmente se é para fazer o mesmo que os rivais mais valiam estar quietos. Confesso que no inicio até foi interessante mas quando se parte para isto…

Bom dizer que José Ribeiro e Castro tem um grande histórico na política e apoia Noronha Lopes. Há problema? Não! Então para que faz o mesmo que os Pedros Marques Lopes da vida assim como os restantes cartilheiros do FC Porto?

Alguma diferença? NÃO!!!

Vejo por exemplo, Rui Gomes da Silva a encarar com naturalidade o apoio do Primeiro-ministro ao atual presidente do Benfica e não o vejo a seguir a cartilha dos Marques Lopes ou dos Baldaias.

Independentemente de todos estes exemplos e ataques sempre ao mesmo clube e ao atual presidente, a verdade é que se toda este pessoal tivesse as mesmas forças para defender o clube dos Ruis Pintos, das Ana Gomes, dos Baldaias, dos FCP´s e tantos outros que atacam o Benfica nos últimos anos, talvez a história fosse outra. Mas preferem andar nisto o que é triste o clube só tem a perder.

Pode ser que melhore.