Manuel José responde com virulência a Pinto da Costa

Em declarações à imprensa, Manuel José respondeu às duras palavras de Pinto da Costa e fê-lo com igual virulência.

«Não reconheço ao Costa autoridade, capacidade moral – note-se bem, capacidade moral -, nem estrutura cultural para me criticar. Por outro lado, o meu passado fala por mim. E, na vida, fiz-me a mim e por mim. Ao longo da vida ganhei 22 títulos. Devo ser o único treinador do mundo que esteve em nove finais continentais e ajudei o clube [Al Ahly, do Egito] a ganhar oito: quatro Ligas dos Campeões africanos e quatro Supertaças africanas. Sou comendador da Ordem de Mérito, medalha atribuído no tempo do presidente Cavaco Silva; tenho a medalha de ouro da cidade de Vila Real de Santo António, onde nasci; tenho a medalha de ouro da cidade de Espinho, onde vivo há 43 anos; tenho a medalha de ouro do desporto egípcio e até sou o único estrangeiro na história do desporto egípcio que tem essa medalha; sou também o segundo treinador da história do futebol português com mais títulos conquistados. Agradeço a pena que o Costa diz ter de mim, porque de facto nunca ganhei nada…», afirmou Manuel José.

Vídeo: Manuel José dá arraso Fernando Gomes e Pinto da Costa

Mais: «Tudo o que tenho – e não preciso do dinheiro da televisão para nada – é o resultado da minha competência, da seriedade, da honestidade e da independência moral. O Costa não argumenta, agride. Não opina, sentencia. Não confronta, insulta. Não esclarece, obscurece. Fala com acidez e arrogância, com intolerância e sectarismos extremos, não digo mais. Por opção, sanidade mental e por educação. Muito mais coisas poderia referir. Antes de terminar, quero dizer que não retiro uma única vírgula àquilo que disse em relação ao Fernando Gomes. Não recebo lições de moral, muito menos vindas de quem vem. E, agora sim, para finalizar, dizer que a importância do coice é conforme o burro que o dá. E o burro não tem importância alguma…»

Pinto da Costa reage às palavras de Manuel José