O fim do protocolo celebrado entre a direção do Sporting e as claques coloca em causa a utilização dos espaços no Estádio José Alvalade. A ‘casinha’, onde por norma se concentram os membros da Juve Leo, pode assim voltar para a esfera do clube, mas o processo não se afigura fácil.

Apesar de este espaço físico estar incluído no complexo desportivo, é propriedade da Câmara Municipal de Lisboa, o que pode complicar um eventual despejo.

Agora imagine que o Benfica tinha um centro de estágio alugado a um Município por 30 anos, pelo valor mensal e simbólico de 500 euros.  Que o mesmo clube tinha uma claque ‘legal’ com direito a espaço público que afinal pertence ao Município de Lisboa. Um espaço onde já foi buscado devido a drogas e outro tipo de ilegalidades por parte das autoridades. Em vez da CML investir em infraestruturas para o desenvolvimento dos jovens, tem uma casinha de uma claque legal em que as pessoas nem precisam ser sócias do clube para ir ver jogos. Imagine o que não se falaria por esta imprensa fora.