News Benfica: “Façamos um exercício e torna-se óbvio onde está o futuro”

Diversas histórias e momentos recentes demonstram como cada vez mais a identidade do Benfica está a ser reforçada pela estratégia de formação da nossa famosa escola do Seixal.

A mensagem de João Félix acerca daquele fantástico golo de Nuno Tavares, com a simples frase “Seixal não falha”, encerra em si a mística, o conceito e a identidade que, desde a mais tenra idade, são ensinados como valores de companheirismo muito fortes na nossa formação.

Veja-se também os ex-jogadores do Benfica que, estando longe, continuam a vibrar com o seu Clube e a desejar a melhor sorte aos seus colegas, desde Bernardo Silva, Renato Sanches, David Luiz, Ederson, Gonçalo Guedes, Nélson Semedo, João Cancelo, Lindelöf e tantos outros, culminando em João Félix, que estando no centro de todas as atenções com as suas exibições, não se esqueceu de assinalar o feito do seu ex-colega.

A cultura de Clube é evidenciada também numa cada vez mais forte interligação de jogadores das equipas A e B, com colegas a assistir a jogos dos seus companheiros enquanto o calendário vai permitindo.

Esta aposta de fundo de Luís Filipe Vieira começa hoje a recolher um reconhecimento muito amplo nos mais variados sectores e multiplicam-se as reportagens de órgãos de comunicação social internacionais que querem conhecer com profundidade qual o segredo por trás da produção e evolução de tanto talento.

Existindo um rumo e uma planificação, fica-se sempre mais próximo da obtenção de títulos. E é esse percurso que, ano a ano, tem vindo a ser construído.

No plano interno, respeitando todos os adversários por igual, mas consolidando a hegemonia. No plano internacional, não obstante as duas finais da Liga Europa, procurando dar um salto qualitativo com a única estratégia possível face às diferenças económicas. Apostar tendo por base a formação, reforçando com mais-valias para as posições mais carentes e, com todo o trabalho feito desde há anos, cimentando-se uma cultura de vitória.

Recorde-se, por fim, a promessa cumprida que a base das futuras seleções fosse garantida por jogadores Made in Benfica. Façamos um exercício e torna-se óbvio onde está o futuro. Com humildade, profissionalismo e valores como têm evidenciado os nossos jogadores.