Estabilidade, qualidade e ambição são as características que mais sobressaem ao analisar-se a forma como foi construído o plantel da nossa equipa de futebol para a presente temporada.

Com o fecho de mercado interrompe-se a especulação, as dúvidas e as incertezas que sempre acontecem nestas fases.

Pelo contrário, no nosso caso, a realidade prova de forma inequívoca que o Clube não é gerido de fora para dentro (no último mês registaram-se somente dois movimentos: a entrada de Vinícius e a saída de Cádiz), seguindo antes uma estratégia bem definida, um planeamento consistente e um rumo que tem sido frutífero no que a títulos e à saúde financeira diz respeito.

Estes são os nossos 29 eleitos, na certeza de que nada se altera relativamente ao essencial que já existia na época passada: todos contam!

Sabendo que o nosso treinador é quem define posicionamentos, de um modo geral temos: Odysseas, Zlobin e Svilar na baliza; André Almeida, Tyronne, Tomás Tavares, Grimaldo e Nuno Tavares para as laterais; Rúben Dias, Ferro, Jardel e Conti no centro da defesa; Florentino, Fejsa, Samaris, Gabriel, Taarabt, Gedson e David Tavares ao meio; Pizzi, Chiquinho, Zivkovic, Rafa, Cervi e Caio Lucas a interiores ou nas faixas; e Jota, RDT, Seferovic e Vinícius na frente.

É notório que a tão mencionada competitividade interna pedida por Bruno Lage está assegurada. São várias as opões para cada posição num plantel recheado de internacionais, jogadores titulados e experientes, além de algumas das maiores promessas do futebol mundial, também eles, nalguns casos, com muitos jogos e troféus no seu palmarés.

Um grupo com uma dimensão compatível com as exigências do calendário e tendo em conta os objetivos ambiciosos definidos (vencer todas as competições internas e melhorar a prestação europeia relativamente à época passada). E, importa recordar que, infelizmente, as lesões acontecem.

Como em anos anteriores, é expectável que alguns dos jogadores do plantel principal participem regularmente em jogos das equipas B e Sub-23. A componente competitiva é tida como essencial no projeto de evolução dos atletas em causa. E acresce que, à semelhança também de épocas anteriores, o plantel da primeira equipa não é estanque, abrindo-se a possibilidade de integração de outras pérolas do Seixal ao longo da temporada.

Esta é, no seu esplendor, a aposta na formação. Preserva-se um núcleo duro de jogadores experientes e dão-se oportunidades a jovens atletas. Estas, quando os tais jovens atletas demonstram estar à altura dos desafios que lhes são propostos, são mantidas, tendo sempre como pano de fundo a elevada ambição característica do nosso Clube: entrar em todos os jogos para ganhar e conquistar, em todas as temporadas, o máximo de títulos e troféus.

Estamos prontos e entusiasmados rumo ao 38, #PeloBenfica!

P.S.: Hoje publicamos a secção Fórum Sócios, em que explicamos como funciona o RED PASS Modalidades e apresentamos as vantagens para os Sócios que o adquiram.