News Benfica: “Muito difícil compreensão sobre decisões inexplicáveis”

A resposta dada pela equipa à derrota na anterior jornada não poderia ter sido melhor. Numa das deslocações mais difíceis no Campeonato Nacional, assistimos a uma vitória assente em muita qualidade e serenidade dos campeões nacionais, perante um Braga bem organizado e que vinha de uma excelente vitória em Moscovo que lhe garantiu a passagem à fase de grupos da Liga Europa.

Foco, forte ritmo competitivo desde o primeiro minuto e a liderança de Bruno Lage permitiram uma exibição consistente e contínua ao longo de todo o jogo.

Publicidade

Uma partida em que também importa assinalar a forma entusiástica e vibrante como os milhares de Benfiquistas que puderam ir ao estádio apoiaram a nossa equipa, numa demonstração de enorme confiança sobre o valor de uma equipa que vem de um ciclo impressionante de resultados positivos, só interrompido por uma derrota que importava ultrapassar rapidamente.

Foi uma vitória limpa, onze contra onze, sem qualquer tipo de intervenções externas a colocarem em causa a verdade do jogo, dando assim a oportunidade para que as duas equipas disputassem o resultado até ao final em igualdade de circunstâncias.

Num campeonato que, até ao momento, tem decorrido da melhor maneira e em que se tornou evidente uma melhoria global competitiva de diversas equipas – importando aqui deixar uma palavra particular de elogio para a liderança do Famalicão, que ascendeu esta época à Primeira Liga – e existindo um esforço de todos em promover a defesa dos espetáculos e dos seus principais protagonistas, apenas se torna premente acabar com os casos de muito difícil compreensão sobre decisões inexplicáveis como ocorreu ontem no jogo de um dos nossos rivais.

Conquistada a Supertaça e o prestigiante troféu ICC, contando, nas primeiras quatro jornadas do campeonato, com três vitórias e uma derrota, partilhando o segundo lugar com o FC Porto, sendo a nossa a equipa com maior número de golos marcados e tendo Pizzi como melhor marcador, é agora o momento para se fazer a primeira paragem desta competição, tendo em conta os jogos das seleções.

Momento que servirá também para recuperar alguns jogadores do plantel que se encontram lesionados e que serão certamente uma preciosa mais-valia para uma época que se sabe de enorme exigência.

E, mais uma vez, nem depressão, nem euforia, apenas uma nova demonstração de força e qualidade de uma equipa consciente de que ainda se está no início de uma longa e extremamente difícil caminhada rumo aos objetivos que todos conhecem.