No Benfica, seja no início do ano, a meio de agosto ou no final de dezembro, as derrotas chegam sempre na pior altura. Nunca há dias bons para se perder. No Benfica, aliás, é exatamente o contrário: o dia perfeito é aquele em que se ganha. Todos sabemos isso.

Esta será sempre a ‘impressão digital’ do Benfica e está aí a razão que ajuda a compreender a frustração geral sentida após a derrota de Portimão. Foi, claramente, um passo atrás. Neste clube, quando se perde não se desaparece nem se entra em hibernação de anos, fingindo-se que nada se passa.

É preciso também ter consciência, no entanto, daquilo que ainda está em jogo: o campeonato não chegou sequer ao final da 1.ª volta. Há 19 jornadas para realizar e 57 pontos por disputar. Ou seja, há 19 finais para ganhar. E ainda a Taça de Portugal, a Taça da Liga e a Liga Europa.

Estádio da Luz, 6 de janeiro, 17h30. É este o jogo mais importante da temporada. É frente ao Rio Ave e teremos ali a primeira oportunidade para nos reerguermos e arrancar de novo rumo ao sonho. Há muito para conquistar. Juntos. Todos sabemos isso.

PS: Uma mentira repetida muitas vezes pode tornar-se verdade. É nesta ideia que acreditam todos os que, desde ontem à noite, vêm fazendo relatos de um “fogo posto” nas bancadas do Estádio Municipal de Portimão. Tratou-se do lamentável acendimento de duas tochas, rapidamente apagadas e sem quaisquer danos, tal como consta oficialmente no relatório do delegado ao jogo. Os pirómanos, no entanto, vêem sempre mais qualquer coisa.