O dilema dos 60 mil euros que André Geraldes tinha no cofre

Advertisement

O Correio da Manhã avança esta terça-feira que os 60 mil euros que foram apreendidos pela Polícia Judiciária no gabinete de André Geraldes, diretor-geral, são do Sporting, diz a juíza de instrução criminal do Porto. E a investigação vai mais longe: acredita que se trata de dinheiro proveniente da venda de bilhetes, designadamente os que são distribuídos às claques.

O esquema permitiria manter um saco azul no clube que levava a que Geraldes dispusesse de dinheiro para distribuir – pagando dali, por exemplo os subornos a árbitros de andebol e a jogadores de futebol adversários.