O outro relatório que envolveu Tiago Martins e que o Conselho de Disciplina anulou

Advertisement

O caso do relatório que o Tiago Martins escreveu, está a dar muito que falar mas que para os lados da FPF, reacções do vice presidente do Conselho de arbitragem, nem uma. Foi rápido a vir defender o árbitro no jogo entre o Code City e o Benfica onde o Benfica foi prejudicado. Agora permanece em silêncio. E o silêncio tem uma justificação e essa remete para 2017 quando o Tiago Martins viu-se envolvido em mais polémica no que toca a relatórios.

Em março de 2017 o Conselho de Disciplina da FPF anulou um castigo de 10 dias e 1.913 euros de multa ao preparador físico do Arouca, Jorge Maciel, por não considerar provados os factos constantes no relatório do árbitro, Tiago Martins.

O caso aconteceu a 4 de dezembro, no jogo da Liga NOS com o Feirense: o árbitro escreveu que aquele adjunto, que estava a dar aquecimento na zona autorizada atrás da baliza, saiu dali e dirigiu-se à bancada de braços abertos, insultando os adeptos adversários que ali se encontravam. Jorge Maciel recorreu do castigo, alegando que nada daquilo tinha acontecido; apresentou até como testemunhas os jogadores que se encontravam a aquecer e uma prova em vídeo.

O Conselho de Disciplina apurou que os delegados da Liga não se aperceberam do comportamento incorrecto por parte de Jorge Maciel, mas também que os vários elementos da equipa de arbitragem se encontravam longe do local onde tal sucedeu, ficando sem se saber por isso quem teria informado o árbitro do ocorrido.

Num acórdão divulgado nesta terça-feira, o órgão disciplinar diz ter pedido esclarecimentos a Tiago Martins, sobre a forma como teve conhecimento dos insultos do preparador físico do Arouca, mas não recebeu resposta no período de um mês. Desta forma, foi ignorada a matéria que constava do relatório e foi retirado o castigo a Jorge Maciel.