A UEFA anunciou que vai reunir-se esta quarta-feira, em videoconferência, com as 55 federações europeias para discutirem opções relativamente ao calendário e ao reagendamento de jogos da Champions e Liga Europa.

O encontro servirá ainda para avaliar a situação dos campeonatos em cada país e debater a extensão dos contratos e as mudanças no mercado de transferências.

Eis os planos que serão apresentados, de acordo com o jornal espanhol As:

Calendário: A UEFA trata de três datas possíveis para reiniciar os Campeonatos: meados de maio, junho e setembro. O mais próximo parece improvável pelo avanço do novo coronavírus na Europa, enquanto o mais distante significaria ter de reajustar a próxima temporada, provavelmente com cortes no número de equipas em cada liga e também mudança no formato das competições europeias. Junho será, assim, a principal opção para terminar os campeonatos, mesmo que os jogos sejam realizados à porta fechada.

Liga dos Campeões: A mais rápida solução parece passar pela realização dos últimos encontros da segunda mão dos oitavos de final (Manchester City-Real Madrid, Bayern-Chelsea, Barcelona-Nápoles e Juventus-Lyon) e, posteriormente, os quartos de final numa única partida, assim como as meias-finais. A final em Istambul aconteceria no último fim de semana de junho. Se a pandemia atingir a Turquia em força, a mudança de local não seria descartada. O mesmo plano está previsto para a Liga Europa, mas aqui o problema é que para terminar a Liga dos Campeões faltam 17 jogos e para terminar a Liga Europa são 27. A calendarização estará mais difícil, mas cada eliminatória também seria disputada a um só jogo.

Contratos: O problema coloca-se sobre os vínculos que terminam a 30 de junho. Se a época ultrapassar essa data, a duração dos contratos dos jogadores e treinadores deve ser estendida. A FIFA está preparada para adaptar as regras para contemplar essa circunstância, mas a Federação Internacional de Associações dos Futebolistas Profissionais (FIFpro) já alertou que essa medida deve ser universal e atingir todos os jogadores, mesmo aqueles que os clubes não pretendam manter para a próxima temporada.

Transferências: Os cenários avançados implicariam também alongar a próxima janela de transferências, que se estenderia de junho a janeiro, alegadamente já acertado entre a FIFA e a UEFA.

Seleções: As datas do calendário da FIFA para as seleções serão também naturalmente afetadas. O Campeonato da Europa já foi adiado para o próximo verão, mas os particulares de junho ainda não foram cancelados (Portugal, por exemplo, tem encontro marcado com a Espanha a 5 de junho). Assim, as seleções terão de abdicar dos seus jogos para que as competições nacionais possam terminar, assim como redefinir o calendário da Liga das Nações de Seleções, que tem início marcado para 3 de setembro.