O prémio do soneca vai para… Vitor Serpa

PUB

Sinceramente a dor de cotovelo é muito frequente em certos jornalistas. Vitor Serpa, director do jornal ABola, decidiu ter uma entrada super empolgante na nova temporada 2015/16. Imitando outros colegas de profissão em anos anteriores, o jornalista começa a temporada dizendo que existe um enorme silêncio no seio do SL Benfica e que os adeptos já temem o fim de ciclo de conquistas derivado a não contratação de nomes sonantes que os outros vão contratando com dinheiro que não têm.

Como em anos anteriores, esta é a táctica da nova temporada na nossa comunicação social. Dizer que estamos arrepiados com a “austeridade” do SL Benfica e que estamos tristes com a saída de Maximiliano Pereira e Jorge Jesus, é de quem anda a dormir, ou então, não tem visto as capas do seu próprio jornal.

PUB

Começa dizendo “o Benfica tem sido um clube fora da agenda mediática” e que “passa despercebido na disputa diária de FC Porto e Sporting das manchetes dos jornais”. Claro está, se o SL Benfica não há novidades, logo o jornal deste senhor não vende. Muitas vezes este senhor elogiou a estratégia do fc porto que passava de despercebido no que toca a contracções, que tinham uma enorme estrutura que não permitia fugas de informação e agora já tem coragem de criticar o mesmo feito por parte de um clube que lhe vende jornais.

No meio de tanto elogio aos rivais do SL Benfica, em espécie de critica aos encarnados, dá entender que clube tem os jogadores todos à venda. O que diria ele se o Benfica tivesse vendido Jackson e Danilo, para além de perder Casemiro e Oliver, ainda descartar Quaresma, símbolo do clube e estar em vias de perder Alex Sandro e Brahimi? Foi o Benfica que tentou sacudir a água do capote atribuindo responsabilidades à FPF por um jogador regressar de férias com uma perna partida, tendo ainda passado nos exames médicos no clube e efectuado um treino. Será que aumentava o numero de páginas?

Mas vai mais longe. Diz que os benfiquistas “assustam-se com a ideia dessa austeridade ter agora chegado, por contágio, ao Clube” e que “há uma inapagável tristeza” entre os adeptos, temerosos de que tenha “chegado ao fim, precocemente, o ciclo de triunfos”. Diz também que temos bastante inveja por “o entusiástico desassossego de portistas e sportinguistas”, segredando entre nós “essa realidade”.

O homem deve ter bom ouvido para tentar saber todos os nossos segredos. Não está atento às redes sociais nem à televisão de certeza. O nosso silêncio colocou 3700 e picos no primeiro treino com mais 2 mil à espera de conseguir entrar, que foram recebidos em Toronto mais 2 centenas de adeptos e que provavelmente irão fazer um mini estádio da luz frente ao PSG esta madrugada. Este é o nosso silêncio, este é o nosso medo. A nossa tristeza é apenas uma, de haver cretinos na imprensa que vendem à custa do SL Benfica e ainda têm a lata de falar mal dele. Para quando acabar com entradas exclusivas na nossa casa de jornais como este? Esta sim é a frustração de muitos adeptos do SL Benfica.

PASQUIM