Inicio Futebol Pragal: “Mau de mais para poder ser verdade!”

Pragal: “Mau de mais para poder ser verdade!”

A economia é uma dita ciência completamente cega! O estratego de Bill Clinton para os assuntos económicos, em plena campanha para as presidenciais norte-americanas, afirmou. “É a economia, estúpido!”
E Bill Clinton ganhou!

A economia debruça-se sobre a produção, a distribuição e o consumo de bens e serviços. A produção diminuiu, a distribuição diminuiu, e o consumo diminuiu.
As ‘companhias de aviação’ estão em terra, que não é o seu ‘habitat natural’. E que sucedeu?

Warren Buffett, um dos maiores investidores em empresas. Alienou todas as suas participações em companhias de aviação e empresas a elas ligadas. Burro? Não! Muito inteligente!

A época recomeçou
– Manipulação e polígrafo
Com o regresso do que podemos designar por época futebol-covid, veio logo a confusão. Primeira notícia que vi: ‘Superdragões” em peso no regresso aos treinos’ era o titulo de uma noticia do Record online. Depois ia ler-se a notícia, e dizia que duas dezenas de adeptos estiveram no Olival. Das duas, uma! Ou é fake news, ou os Superdragões são só 20.

Mas nesse mesmo dia foi publicado o costumeiro artigo de alguém que nem merece que se perca tempo. Mas o tom era de provocar demasiada histainina – tu isto, tu aquilo, tu aqueloutro, tu! Mau de mais para poder ser verdade!

No dia seguinte, mural junto ao Estádio da Luz vandalizado com tinta verde! Pronto, o trio perfeito! Afinal, não há regresso via calamidade. É mesmo burnout cerebral! Eles são os três uma calamidade pública! Mas não acabou! O secretário de Estado do Desporto, que foi nomeado o responsável pela coordenação do combate à covid-19 na zona centro, veio na radio informar de que os direitos de transmissão televisiva vão ser centralizados a partir de 2027! O mesmo que é sócio de uma empresa enquanto exerce estas funções públicas!

Ao mesmo tempo, o meio de comunicação social habitual meteu um prodígio da matemática a dizer que o Benfica é quem mais perdia – 25 milhões de euros – caso não fosse realizado mais nenhum jogo!

Pergunta ao prodígio: Se Joaquim tiver 30 milhões em disponibilidades monetárias, deixar de receber 25 milhões e tiver de gastar parte dos 30, e José tiver 10 milhões em disponibilidades monetárias, deixar de receber 15 milhões e tiver de gastar tudo, quem fica melhor?

Outra pergunta ao prodígio cientificamente escolhido por esse meio de comunicação social. Na operação 4+3(9:7), somas primeiro, multiplicas depois e divides a seguir, ou como é?

Factos
No último programa Contas Feitas, Dúvidas Desfeitas, mencionámos uma análise aos rácios da Futebol Clube do Porto SAD, com referência ás contas do 1ª semestre de 2019/2020.
Ei-los na Fig. 1.
Estes são os rácios da estrutura/endividamento! é um terror! Autonomia financeira negativa (-11,68%), endividamento de 124,31%, ou seja, é maior que o património, activos não correntes sobre capital próprio são negativos (de -640.81%), o EBITDA sobre o passivo liquido é negativo (em -4.54%), o passivo sobre o capital próprio é negativo (em -1063,93%), tudo isto é aterrador, Venham os ditos economistas-prodígio e comentem isto!

Os administradores de uma empresa já tinham sido corridos, e -melhor – a empresa está mais que falida! Insolvente! Falida!
Vejam na Fig. 2 os rácios de rentabilidade financeira.
A margem EBITDA é negativa (-38.65%1 a rentabilidade do capital próprio è negativa 1-123.14%). o passivo corrente e não corrente supera os proveitos operacionais normais (vendas e prestações de serviços) em 851,98%!

Isto é de loucos! De acordo com o artigo 3º, nº 1. do Código da insolvência e da Recuperação de Empresas, encontra-se em situação de insolvência “o devedor que se encontre impossibilitado de cumprir as suas obrigações vencidas”, pelo que o que esta em causa é a inexistência de meios para cumprir as obrigações vencidas, sendo certo que pode acontecer que o activo seta superior ao passivo vencido, mas o devedor se encontre em situação de insolvência por falta de liquidez do seu activo. Nas situações previstas no nº 2 do artigo 3º, também se verifica uma situação de insolvência quando existe um passivo manifestamente superior ao activo.

Ora, basta a verificação de um destes pressupostos para que uma empresa seja declarada insolvente! A FC Porto SAD preenche qualquer um dos requisitos não conseguir pagar 3S milhões de obrigações e um facto muito relevante, estando impossibilitado de cumprir as suas obrigações vencidas. Por outro lado, o seu passivo e manifestamente superior ao seu activo. Mas, obviamente, ‘isto é Portugal’, tinha-me esquecido.

Retomo da competição
O retorno da competição foi decidido nos moldes que vos foram descritos no artigo antecedente. Apesar de estarem a decorrer conversações entre a Liga e a Direcção-Geral da Saúde sobre aspectos ainda mais específicos que irão condicionar o regresso a competição, não andaremos muito longe da verdade se dissermos que no pre-march, isso será mais ou menos desta forma.