A Polícia de Segurança Pública (PSP) divulgou um comunicado, esta segunda-feira, a desmentir a manipulação de dados sobre uma apreensão de pirotecnia num Benfica-FC Porto disputado em abril de 2015.

No comunicado, a PSP recusa a tese de manipulação da informação e refere que não revelou a quem tinha sido apreendido o material “por questões de reserva operacional e processual, o que aliás tem sido o procedimento seguido em situações semelhantes”.

Essa informção foi revelada à FPF, à Liga e ao IPDJ, “autoridades a quem competia ter conhecimento detalhado sobre a preferência clubística dos infratores”, pode ler-se no comunicado.
A PSP reforça que “não oculta, nunca ocultou, não manipula, nem nunca manipulou, dados ou informações transmitidos publicamente, no âmbito do combate à violência no desporto ou em qualquer outra área da sua intervenção”.

A “PSP dividiu a “captura” dos 150 artefactos entre adeptos SLB e FCP, omitindo à opinião pública que o resultado foi de 149-1!!!”, esta é a frase que faz parte do email revelado pelo blogue mercadodebenficapolvo. wordpress.com, citado pela revista Sábado, que apontam para o facto da Polícia de Segurança Pública ter manipulado os números sobre a apreensão de artefactos de pirotecnia no decorrer do Benfica-FC Porto disputado em abril de 2015. No final desse jogo, recorde-se, o comissário da PSP, Rui Costa, referiu-se à “apreensão dos 150 artigos pirotécnicos, pertencentes aos adeptos dos dois clubes”.

O mail revelado este domingo terá sido enviado por Rui Pereira, chefe de segurança do Estádio da Luz, para Domingos Soares Oliveira, administrador da SAD, um dia depos desse Benfica-FC Porto, dando conta de uma situação que estava a tornar-se “insustentável” e revelando a descoberta de “um verdadeiro arsenal no interior de um WC, que serve de depósito/arrecadação de artigos pirotécnicos para todos os jogos… sem terem de ser sujeitos a revista nas portas. Há quanto tempo existe este esquema?”.

No mesmo mail de Rui Pereira para Domingos Soares Oliveira existe a referência a uma comunicação entre o chefe de segurança do Estádio da Luz e o subintendente da PSP Pedro Pinho, versando sobre o que fora dito aos jornalistas sobre a apreensão de artefactos pirotécnicos. “Devo-lhe um agradecimento e apreço especial a si, por sentir estar implícito e notório nesta notícia um reconhecimento do trabalho e colaboração à estrutura de segurança do SLB”.

Segundo a Sábado, o diretor de segurança terá ainda informado Domingos Soares Oliveira de que a polícia o informara para a existência de “um processo que refere o assunto mais pormenorizadamente, como determina a lei, ao contrário da mensagem para os OCS, pelo que certamente iremos ter problemas com as autoridades (Diretor de Segurança/Administração/Presidente)”