“Record” histórico na quebra de vendas no jornal Record. Querem continuar a ser rameiros?

Advertisement

Segundo os resultados da APCT, o Record foi o jornal que teve a maior quebra em termos de vendas de jornais em papel. Esta é uma das maiores quedas de sempre do jornal que pertence ao grupo cofina.

Em 2017, o Record nos meses de maio e junho tinham vendido 38663 exemplares em média por dia. Nos meses de maio e junho, as vendas caíram para 32531 em média por dia, ou seja, menos 6132 jornais por dia, um trambolhão assustador… A queda foi superior a 15% em comparação ao período homólogo de 2017.

Aqui estão os resultados oficiais da APCT relativos ao 3º bimestre de 2018 (Maio e Junho) que foram uma vez mais aterradores para as publicações da Cofina, Impresa e Global Media Group quando comparados com o período homólogo de 2017.

Cofina
Correio da Manhã – Menos 9860 jornais por dia (Quebra de 10,49% nas vendas)
Record – 38663 32531 Menos 6132 jornais por dia (Quebra de 15,86% nas vendas)
Sábado – 42902 40794 Menos 2108 revistas por semana (Quebra de 4,91% nas vendas)

Impresa
Expresso – Menos 3574 jornais por semana (Quebra de 3,98% nas vendas)

Global Media Group
Jornal de Noticias – Menos 4063 jornais por dia (Quebra de 7,65% nas vendas)
Ojogo – 18651 18976 Mais 325 jornais por dia (Aumento de 1,74% nas vendas)

Querem continuar a ser rameiros, então estes são os resultados. O consumidor que na maioria é Benfiquista, não compra e nem visita os sites destes grupos, devido ao que estes rameiros escrevem sobre o Benfica, que na sua maioria, são notícias baseadas em denuncias anónimas. Continuem…

http://www.apct.pt/Analise_simples.php