Quando pensamos que não podiam ser piores, eis que sai mais uma do Record. Então segundo o jornal verde e branco, existe uma propaganda prejudicial a Bruno Fernandes. Mesmo depois de andarem a dar o “prémio de homem do jogo” aos 75 minutos de uma partida. Mas qual será a propaganda?

No verão passado saiu a notícia de que Bruno Fernandes não ia para o United porque perdia demasiadas vezes a bola. Seguido durante vários meses pelos observadores dos red devils, os relatórios davam conta que o médio do Sporting “perde a bola demasiadas vezes” e por isso foi desaconselhada a contratação. O capitão dos leões registou média de passes completos ao longo da última época na ordem dos 75,1 por cento, uma percentagem considerada baixa em comparação os dados de Paulo Pogba (82,8%) ou Kevin De Bruyne (também na casa dos 82%). A malta do scout é malandreco e entrou na propaganda.

 

 

Será isto propaganda que visa baixar o rendimento do Bruno?

 

Até fez mais um golito que o Pizzi. Será esta a grande propaganda?

Nada coloca em causa o rendimento do Bruno até porque é um grande jogador. Tirando a parte em que lhe são perdoadas as expulsões, ele tem qualidade e até pode jogar no Benfica, embora ache que estragaria o nosso balneário.

Agora quem, uma vez mais, esteve mal, foi o jornal que lhe faz a entrevista. As perguntas que lhe foram feitas, é que são dignas de propaganda. Tornaram-no num jogador banal em apenas um par de perguntas e o Bruno não merecia.

Se o Pizzi fez mais assistências e menos um golo que o Bruno, óbvio que é melhor que ele no ano civil de 2019. Mas nada retira o mérito ao Bruno a não ser o Record.

Já agora, como classificamos a imprensa depois do que fizeram ao Raúl de Tomás durante estes meses?