Rui Pinto foi ao sistema da FPF e conseguiu números de árbitros

Advertisement

1 de março de 2018. Madrugada dentro. Das 4 horas e 31 minutos até às 8h00 da manhã, Rui Pinto “efetuou 48 acessos a vários servidores e máquinas da Federação Portuguesa de Futebol” (FPF) através dos quais fez “exaustivas pesquisas e consultas em diretórios e ficheiros dos computadores utilizados pela FPF”. A acusação do Ministério Público relativa ao processo que envolve Rui Pinto é clara: O arguido procedeu “ao mapeamento e inventário de todos os serviços e dispositivos disponíveis na rede da FPF”.

Diz ainda o MP que Rui Pinto “não só visualizou, como exfiltrou, parte da informação que ali encontrou, a qual veio a guardar no seu equipamento eletrónico pessoal”. Concretizando: guardou ficheiros como um acórdão do Tribunal Arbitral do Desporto — que envolvia o presidente da SAD do Benfica, Luís Filipe Vieira — bem como listas de contactos de praticamente todos os árbitros, processos disciplinares, decisões do Conselho de Justiça, classificações de árbitros, pareceres e documentos sobre inscrições, transferências e revalidações de jogadores do futebol amador e profissional.

Sem conseguir apurar como, as procuradoras contam ainda que Rui Pinto “obteve as credenciais de acesso do funcionário da Federação Portuguesa de Futebol, Vítor Franco, à plataforma ‘Score’. Na posse das referidas credenciais, nos dias 12 de junho e 16 de julho de 2016, o arguido acedeu a essa mesma plataforma, tendo feito o downlowd de mais três documentos e mais 23 documentos depois disso”.

Mas não ficou por aqui. Em agosto de 2018, o hacker obteve a senha de acesso ao e-mail de João Rocha, vogal do Conselho de Arbitragem da Federação Portuguesa de Futebol e visualizou “exaustivamente” os seus conteúdos que remontavam a dezembro de 2011. Entre esses documentos estavam informações confidenciais como nomeações de árbitros de futsal e futebol de praia. Tal como no caso da Doyen, num dos seus discos externos havia um ficheiro com anotações sobre a FPF, desde “endereços de correio eletrónico e respetivas palavras passe e plataformas de ficheiros”.

O que diz a Ana Gomes sobre o roubo de contactos de árbitros?

Neste período de tempo, quantas vezes é que os árbitros foram perturbados?